Busca avançada
Ano de início
Entree

Angiotensina-(1-7) como um peptídeo citoprotetor em ilhotas pancreáticas e seu potencial terapêutico no Diabetes Mellitus

Processo: 12/19392-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2013
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Dulce Elena Casarini
Beneficiário:Ana Lúcia Campanha Rodrigues
Instituição-sede: Escola Paulista de Medicina (EPM). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus São Paulo. São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:10/51904-9 - Sistema renina angiotensina e calicreina cininas na hipertensão, obesidade, diabetes, desnutrição e sepses: mecanismos moleculares, celulares e fisiopatológicos, AP.TEM
Assunto(s):Ilhotas pancreáticas   Diabetes mellitus   Citoproteção   Sistema renina-angiotensina   Nefrologia

Resumo

O Diabetes Mellitus (DM) é uma doença crônica caracterizada pela deficiência da produção da insulina (DM1) ou pela resistência dos tecidos periféricos a este hormônio (DM2). Sabe-se que, especialmente no DM2, o sistema renina-angiotensina (SRA) desempenha um papel importante no estabelecimento da síndrome metabólica associada. O SRA possui uma função dual. A primeira é representada pela angiotensina II (Ang II) e é classicamente caracterizada por vasoconstrição, inflamação, reabsorção de sal e água nos rins e estresse oxidativo. Já a segunda resulta em efeitos antagônicos, associados à atuação da angiotensina 1-7 (Ang-(1-7)). A modulação do SRA se mostrou uma estratégia de tratamento válida em casos de hipertensão, hiperglicemia, resistência à insulina e dislipidemias. Os efeitos da Ang II, no pâncreas, levam à disfunção da secreção dual de insulina, à redução do fluxo sanguíneo, ao aumento do estresse oxidativo e ao estímulo da produção de citocinas inflamatórias, causando a destruição das células-b. Em contrapartida, o estímulo da principal enzima produtora de Ang-(1-7) (ECA2) já demonstrou diversos efeitos citoprotetores locais, como a indução da produção de insulina, o reestabelecimento da secreção apropriada deste hormônio, a diminuição da apoptose celular e, ainda, a proliferação de células-b. Com base nestes resultados, este projeto visa caracterizar o papel citoprotetor da Ang-(1-7) em ilhotas pancreáticas sob estresse. Para tal, propõe-se o tratamento com Ang-(1-7) in vivo, em modelo experimental murino de DM2 induzido por alta ingestão de frutose, assim como in vitro, em ilhotas isoladas de ratos não-diabéticos, já que o próprio isolamento celular, essencial para o procedimento de transplante de ilhotas, está relacionado à disfunção destas células.