Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de filmes nanocompósitos contendo pure de vegetais para aplicação como embalagem comestível

Processo: 12/24362-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de março de 2013
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Físico-química
Pesquisador responsável:Luiz Henrique Capparelli Mattoso
Beneficiário:Marcos Vinicius Lorevice
Instituição-sede: Embrapa Instrumentação Agropecuária. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (EMBRAPA). Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Brasil). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Nanopartículas   Pectinas   Quitosana   Filmes comestíveis   Nanocompósitos

Resumo

O descarte cada vez maior de embalagens produzidas a partir de polímeros derivados de petróleo tem aumentado significativamente os impactos ambientais e consequentemente a preocupação em diminuir tais danos. Uma das formas encontradas para driblar esses danos vem sendo a fabricação de embalagens a partir de polímeros biodegradáveis, renováveis e de baixo custo. A pectina, polissacarídeo de origem vegetal, utilizada na fabricação de filmes, é biodegradável e renovável, entretanto apresenta propriedades físicas desfavoráveis: alta solubilidade em água, baixa propriedade de barreira ao vapor de água e pouca resistência mecânica. A busca por aumentar tais propriedades físicas tem levado muito estudos a adicionar compostos às matrizes dos filmes. A adição de nanopartículas tem resultado em um aumento na hidrofobicidade, nas propriedades de barreira e mecânicas dos filmes comestíveis. Por tudo isso, este projeto tem por objetivo de produzir filmes de pectina com nanopartículas de quitosana e filmes de pectina com nanopartículas de poli(µ- caprolactona), nos quais serão estudadas a correlação composição-estrutura dos filmes e posteriormente, será adicionado purê de um vegetal aos filmes para agregar propriedades sensoriais e nutritivas às embalagens. Os materiais utilizados serão pectina, quitonasa, poli(µ-caprolactona), purê de algum vegetal. As nanopartículas de quitosana e de PCL serão sintetizadas respectivamente por ionização ionotrópica e nanoprecipitação. Para as nanopartículas serão feitas caracterizações quanto ao potencial zeta destas e quanto ao tamanho médio de partícula. Os filmes serãoproduzidos a partir da técnica de casting. Para os filmes serão feitas caracterizações de espessura, FT-IR, propriedades mecânicas, térmicas, permeabilidade ao vapor de água, microscopia de força atômica e eletrônica de varredura e atividade antimicrobiana.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
LOREVICE, MARCOS VINICIUS; OTONI, CABO GOMIDE; DE MOURA, MARCIA REGINA; CAPPARELLI MATTOSO, LUIZ HENRIQUE. Chitosan nanoparticles on the improvement of thermal, barrier, and mechanical properties of high- and low-methyl pectin films. FOOD HYDROCOLLOIDS, v. 52, p. 732-740, JAN 2016. Citações Web of Science: 32.
MARCOS V. LOREVICE; MARCIA R. DE MOURA; LUIZ H. C. MATTOSO. Nanocompósito de polpa de mamão e nanopartículas de quitosana para aplicação em embalagens. Química Nova, v. 37, n. 6, p. 931-936, Jul. 2014.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.