Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação do desempenho em leitura e escrita de alunos com deficiência intelectual expostos a um programa de ensino informatizado

Processo: 13/21470-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2014
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2014
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Lidia Maria Marson Postalli
Beneficiário:Lais Paloma de Oliveira
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Ensino individualizado   Leitura e escrita   Deficiência intelectual

Resumo

A leitura e a escrita constituem as mais básicas e essenciais habilidades para que um aluno se mantenha na escola. Considerando que indivíduos com deficiência intelectual apresentam prejuízos cognitivos, torna-se de fundamental importância criar condições de ensino que facilitem e favoreçam a aprendizagem dessas habilidades por esses indivíduos. Aprender a ler e a escrever requer essencialmente a aprendizagem de discriminações simples (entre estímulos sonoros e entre estímulos visuais) e relacionais (entre sons e texto) e a exposição a muitas dessas relações, de maneira cumulativa. Considerando esses requisitos, foi desenvolvido um programa de ensino para aplicação individualizada o qual vem sendo utilizado com sucesso para o ensino dessas habilidades com diferentes populações. O objetivo do presente estudo será avaliar longitudinalmente o desempenho de leitura e escrita de alunos com deficiência intelectual expostos a este programa, buscando relacionar suas habilidades de entrada (requisitos) ao seu desempenho ao longo das diferentes etapas do procedimento. Depois de uma avaliação inicial das habilidades alvo, três participantes serão expostos individualmente a sessões de ensino, intercaladas com avaliações periódicas de progresso. O programa de ensino prevê o ensino de 60 palavras, ensinadas três a três (distribuídas em 20 passos). Além das medidas de desempenho previstas (índices de acertos e erros), serão avaliados também o ritmo de aprendizagem, o progresso alcançado a cada bloco de 10 sessões de ensino, a quantidade de exposição para alcançar o critério de aprendizagem em cada passo e a quantidade de palavras de ensino e de palavras novas lidas depois de 60 sessões de ensino (três vezes mais que o mínimo programado de 20 passos). Análise de dificuldades e de padrões de erros deverão fornecer subsídios para revisão na reprogramação de ensino para ajustar o programa às necessidades de indivíduos com déficits intelectuais.