Busca avançada
Ano de início
Entree

Indução tumoral ovariana e influência da terapia com melatonina sobre a apoptose em ratas UChB

Processo: 14/05196-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de junho de 2014
Vigência (Término): 31 de maio de 2015
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Anatomia
Pesquisador responsável:Luiz Gustavo de Almeida Chuffa
Beneficiário:Michelly da Silva Alves
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Toxicologia reprodutiva   Transformação celular neoplásica   Melatonina   Caspase 3   Apoptose   Histopatologia   Western blotting   Imuno-histoquímica

Resumo

O câncer de ovário apresenta elevada incidência em mulheres e, devido seu diagnóstico tardio e baixo prognóstico, é o mais grave dos cânceres ginecológicos. O câncer de ovário é inicialmente responsivo à quimioterapia, onde se observa a redução no crescimento do tumor, porém, com o tempo, muitas mulheres desenvolvem quimioresistência decorrente do tratamento. É indiscutível que fatores de risco, como o alcoolismo crônico, predispõem a indução e o desenvolvimento de tumores, atuando como agente co-carcinogênico. Curiosamente, os mecanismos relacionados a tumorigênese e consumo de etanol compartilham vias comuns relacionadas ao processo apoptótico e a sobrevivência da célula tumoral. Tendo a melatonina como uma molécula com função oncostática e pró-apoptótica em tumores sólidos, o presente estudo tem o objetivo de avaliar o efeito da indução tumoral ovariana e verificar a influência da terapia com melatonina sobre o processo de apoptose nos ovários de ratas consumidoras voluntárias de etanol a 10% (linhagem UChB). Para tanto, serão investigados os seguintes parâmetros: monitoramento do ciclo estral durante o desenvolvimento tumoral, avaliação e caracterização dos tipos de lesões tumorais através da análise histopatológica, imunolocalização e quantificação das proteínas-alvo anti-apoptóticas (Bcl-2 e survivina) e pro-apoptóticas (BAX e caspase 3), e p53 (supressor tumoral relacionado com indução de morte celular), através das técnicas de imunohistoquímica e Western blot. Esses resultados irão colaborar no esclarecimento dos efeitos da melatonina sobre o processo apoptótico, sobrevivência da célula tumoral e quimioresistência aos tratamentos.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CHUFFA, LUIZ GUSTAVO A.; ALVES, MICHELLY S.; MARTINEZ, MARCELO; CAMARGO, ISABEL CRISTINA C.; PINHEIRO, PATRICIA F. F.; DOMENICONI, RAQUEL F.; JUNIOR, LUIZ ANTONIO L.; MARTINEZ, FRANCISCO EDUARDO. Apoptosis is triggered by melatonin in an in vivo model of ovarian carcinoma. Endocrine-Related Cancer, v. 23, n. 2, p. 65-76, FEB 2016. Citações Web of Science: 23.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.