Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização genética e funcional de células dendríticas de pacientes HIV+ estimuladas em flagelina: implementação do protocolo de imunoterapia contra o HIV-1

Processo: 15/17373-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de março de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2019
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Alessandra Pontillo
Beneficiário:Edione Cristina dos Reis
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Flagelina   Células dendríticas   Imunogenética   HIV-1   Imunoterapia   Inflamassomos

Resumo

A resposta imune inata conta com receptores de reconhecimento de padrões (PRRs) para detectar assinaturas patogênicas desencadeando respostas celulares que levem ao controle da infecção e indução de uma resposta adaptativa. Dentre os PRRs destacam-se os receptores do tipo Toll-like (TLRs) e os receptores do tipo Nod-like (NLRs). Devido a sua capacidade de estimular as células dendríticas (DC), agonistas de TLR tem sido utilizados como adjuvantes em imunoterapias baseadas em DC. Entre os antagonistas de TLRs tem sido sugerido que a flagelina poderia ser um adjuvante importante em imunoterapias. Apesar de vários estudos em modelos experimentais, não existem publicações sobre o uso de vacinas com a flagelina como adjuvante em humanos. Todos esses estudos sobre flagelina focam no poder de ativação da flagelina através dos TLRs, no entanto alguns NLRs também podem ser implicados no efeito de alguns adjuvantes. Recentemente foi reportado que monócitos e macrófagos humanos também respondem à flagelina ao aumentar a secreção de IL-1ß e que DC de pacientes HIV+ não possuem a capacidade de ativar o inflamassoma. Visto que a flagelina está sendo estudada como possível adjuvante em diversos estudos de imunoterapia, pela capacidade de ativar a imunidade inata e levando em consideração a falta de ativação do inflamassoma por agonistas do NLRP3 em DC de pacientes HIV+, esse projeto propõe a avaliação da capacidade da flagelina em ativar as DC de pacientes HIV+ através da estimulação do inflamassoma. Sendo assim, nosso objetivo é caracterizar células dendríticas derivadas de monócitos de indivíduos infectados pelo HIV-1 frente à flagelina com relação a aspectos fenotípicos e funcionais e avaliar se essas células são capazes de ativar o inflamassoma.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
DOS REIS, EDIONE CRISTINA; CORDEIRO LEAL, VINICIUS NUNES; DA SILVA SOARES, JAINE LIMA; FERNANDES, FERNANDA PEREIRA; DE LIMA, DHEMERSON SOUZA; DE ALENCAR, BRUNA CUNHA; PONTILLO, ALESSANDRA. Flagellin/NLRC4 Pathway Rescues NLRP3-Inflammasome Defect in Dendritic Cells From HIV-Infected Patients: Perspective for New Adjuvant in Immunocompromised Individuals. FRONTIERS IN IMMUNOLOGY, v. 10, JUN 11 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.