Busca avançada
Ano de início
Entree

Envolvimento de receptores 5-HT1A no hipocampo ventral no efeito do tratamento crônico com a fluoxetina sobre a manifestação de comportamentos defensivos relacionados com a ansiedade generalizada e com o pânico

Processo: 16/16724-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de novembro de 2016
Vigência (Término): 31 de outubro de 2017
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Farmacologia - Neuropsicofarmacologia
Pesquisador responsável:Telma Goncalves Carneiro Spera de Andrade
Beneficiário:Victor Paschoal Marquezin Nicolli Soares
Instituição-sede: Faculdade de Ciências e Letras (FCL-ASSIS). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Assis. Assis , SP, Brasil
Assunto(s):Serotonina   Fluoxetina   Neurofarmacologia   Ansiedade

Resumo

Ainda pouco se conhece a respeito da atividade serotonérgica no Hipocampo Ventral (HV) na regulação de diferentes subtipos de ansiedade. Estudo anterior realizado em nosso laboratório utilizando o Labirinto em T Elevado (LTE) mostrou que a ativação de receptores 5-HT1A no HV diminuiu o comportamento de esquiva dos animais, sem afetar as respostas de fuga, semelhantemente ao que se observou em decorrência da ação do midazolam sobre receptores GABAA, indicando um envolvimento desses receptores na regulação do Transtorno de Ansiedade Generalizada, mas não do Transtorno do Pânico. Contudo, ainda não se verificou o efeito direto da serotonina no HV sobre a manifestação desses subtipos de ansiedade no LTE, como também não é conhecido se o efeito ansiolítico da fluoxetina está relacionado com a ação da serotonina sobre receptores 5-HT1A no HV em relação à apresentação dos comportamentos defensivos de esquiva e fuga nesse modelo experimental. Assim, este estudo tem por objetivo investigar tais aspectos. Ratos machos Wistar serão submetidos à cirurgia estereotáxica para implante de cânulas, possibilitando o acesso ao Hipocampo Ventral bilateralmente. Para habituação dos animais ao pesquisador, no 4º e no 5º dia pós-cirúrgico, os animais serão submetidos ao "handling" (5 minutos/dia). No 6º dia pós-cirúrgico serão confinados em um dos braços abertos do Labirinto em T Elevado por 30 minutos. Vinte e quatro horas após o confinamento serão submetidos à avaliação comportamental no Labirinto em T Elevado e em sequência na arena (no 7º. dia após a cirurgia estereotáxica), imediatamente após as microinjeções bilateralmente no Hipocampo Ventral, exceto na avaliação do efeito crônico da fluoxetina, quando as microinjeções serão feitas 10 minutos antes da última dose de fluoxetina. O estudo será desenvolvido em 2 etapas. 1ª Etapa - microinjeção no HV de Serotonina (4, 8 ou 16 nmol - 5-Hydroxytryptamine hydrochloride), tendo como controle animais microinjetados com salina no HV; 2ª. Etapa - Tratamento crônico com fluoxetina (10mg/Kg) por 21 dias em uma única injeção IP e microinjeção do antagonista específico de receptores 5-HT1A Way 100635 (na dose de 0,18nmol ou 0,37nmol ou 0,74nmol; a análise para determinação da dose silente desse antagonista será realizada previamente por outro estagiário, em outro trabalho científico do mesmo grupo de pesquisa). Na segunda etapa serão constituídos os seguintes grupos experimentais: Grupo 1 - Salina/Tween80 IP + Salina HV; Grupo 2 - Salina/Tween80 IP + Way 100635; Grupo 3 - Fluoxetina + Salina HV; Grupo 4 - Fluoxetina + Way 100635. Cada grupo será constituído no mínimo por 10 animais. Os resultados serão submetidos à Anova de Medidas Repetidas, avaliando separadamente as Esquivas e as Fugas no LTE, bem como o número de quadrados percorridos na arena, como índice de atividade motora dos animais, comparando os tratamentos (soluções e subdoses utilizadas) e as re-exposições em cada braço do LTE, em cada etapa do estudo separadamente.