Busca avançada
Ano de início
Entree

Impacto da restrição calórica em pacientes com doença renal policística autossômica rapidamente progressiva dominante: um ensaio clínico randomizado

Processo: 16/20089-4
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Pesquisa
Vigência (Início): 23 de setembro de 2017
Vigência (Término): 22 de setembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Maria Auxiliadora Martins
Beneficiário:Maria Auxiliadora Martins
Anfitrião: Eduardo Nunes Chini
Instituição-sede: Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa e Assistência (FAEPA). Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP (HCMRP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: Mayo Clinic, Minnesota, Estados Unidos  
Assunto(s):Terapia nutricional   Medicina intensiva   Insuficiência renal crônica

Resumo

Doença renal policística autossômica dominante (ADPKD) é causada por mutações para PKD1 ou PKD2. É a quarta causa mais comum de doença renal terminal (DRT) e é responsável por 5%, 10% e 11% dos pacientes em terapia de substituição renal nos Estados Unidos, União Europeia e Austrália. Apesar de recentes avanços no entendimento da patogênese, não há nenhuma terapia específica aprovada nos Estados Unidos. Supressão de vasopressina por hidratação reforçada pode ser benéfica e de sal na dieta tem sido associada com crescimento mais rápido e declínio da função renal. O objetivo desta aplicação é a realização de um ensaio clínico randomizado controlado, não cego (ECR) comparando CR leve a uma dieta controle em pacientes com ADPKD rapidamente progressiva (classe 1C-E pela classificação Irazabal), em condições de hidratação padronizada e ingestão de sódio, para determinar se retarda a taxa de crescimento dos rins (desfecho primário), é bem tolerado e seguro, reduz os níveis de IGF-1 no soro e a excreção de inflamação (MCP-1) e fibrose (TGF-p) biomarcadores na urina, melhora textura renal, retarda o declínio de GFR e a taxa de crescimento do fígado, e melhora a qualidade de vida. Este ECR é susceptível de proporcionar novas e importantes informações sobre uma terapia potencialmente segura, eficaz e barata para ADPKD.

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre a bolsa: