Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento de um biossensor wearable para determinação de cortisol em suor em dispositivo microfluídico à base de papel (uPAD)

Processo: 17/05362-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Situação:Interrompido
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Química - Química Analítica
Pesquisador responsável:Emanuel Carrilho
Beneficiário:Amanda Hikari Imamura
Instituição-sede: Instituto de Química de São Carlos (IQSC). Universidade de São Paulo (USP). São Carlos , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):18/19749-5 - Aplicação de eletrodos enrugados termicamente para detecção de cortisol em dispositivos vestíveis, BE.EP.DD
Assunto(s):Suor   Gravidez   Microfluídica   Técnicas biossensoriais   Hidrocortisona

Resumo

O estresse psicológico atribuído ao estilo de vida cotidiano. O estresse psicológico atribuído ao estilo de vida cotidiano afeta diretamente a saúde, contribuindo para condições de depressão, infartos e enxaquecas, além de ser um fator importante na qualidade da gestação associado a casos de nascimentos prematuros, baixo peso e desenvolvimento prejudicado do recém-nascido. O cortisol é conhecido como "hormônio do estresse" e considerado um biomarcador associado a tal condição. A determinação dos níveis de cortisol permite o monitoramento da condição de estresse crônico no indivíduo. As técnicas disponíveis para sua análise demandam equipamentos sofisticados, diversas etapas, tempo e profissionais capacitados para a análise e interpretação dos dados. Visando o monitoramento de cortisol de forma contínua, fácil, não invasiva e acessível à população, este projeto propõe o desenvolvimento de um biossensor wearable capaz de detectar esse hormônio em suor. O biossensor será um dispositivo microfluídico a base de papel (uPAD), com detecção condutométrica sem contato acoplado capacitivamente (C4D), modificado com anticorpo anti-cortisol como biorreceptor. Para a microfabricação do papel, será utilizada a técnica de impressão a cera. Faz-se necessário um filme dielétrico que isole os eletrodos do fluido que permeia os microcanais na detecção C4D; será avaliado o PDMS ou cera impressa. Sobre o filme, será imobilizado o anticorpo e diferentes métodos de imobilização serão avaliados. Após a construção, o biossensor será avaliado principalmente quanto à sensibilidade e detectabilidade. Acredita-se que o dispositivo, se desenvolvido com sucesso, auxiliará significativamente a melhorar a qualidade de gestações. (AU)