Busca avançada
Ano de início
Entree

Macrofágos M1 e M2 e sua relação com a angiogênese em carcinomas espinocelulares orais afetando pacientes jovens e idosos

Processo: 17/02502-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de julho de 2017
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Odontologia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Jorge Esquiche León
Beneficiário:Lucas Ribeiro Teixeira
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Jovens   Patologia bucal   Boca   Carcinoma de células escamosas   Idosos   Angiogênese

Resumo

O carcinoma espinocelular (CEC) oral (CECO) corresponde a 90-95% de todos os casos de câncer oral. A incidência do CECO é elevada. No Brasil, dados apontam para o registro de 15,490 casos novos de câncer oral em 2016. Apesar de haver uma maior prevalência de CECO em pacientes idosos, estudos mostram um aumento no número de pacientes jovens afetados. Na análise histopatológica, além da presença de ilhas e cordões invasivos de celulas epiteliais malignas, há também a presença de infiltrado imune peritumoral e intratumoral, onde pode ser visualizada grande quantidade de macrófagos, células com importante papel na regulação da resposta imune inata e que podem ser classificados como tipo M1 e M2. Os macrófagos M1 apresentam propriedades anti-tumorais, já os macrófagos M2 mostram perfil pró-tumoral e sua frequência parece estar associada com a modulação do estroma vascular (angiogênese) no CEC. Interessantemente, não há estudos avaliando os possíveis efeitos do envelhecimento (imunossenescência) na variação destas populações de macrófagos e sua relação com a angiogênese no CECO. Assim, este trabalho tem como objetivo analisar, por meio de imunoistoquímica (imunomarcação simples e dupla), a frequência e localização de macrófagos M1 e M2 e sua relação com a angiogênese em pacientes jovens e idosos, utilizando os marcadores CD68 e CD163 (macrófagos), CD34 e D2-40 (densidade microvascular) em biópsias de CECO (n=60) divididos em três grupos (<40 anos [n=20]; 40-65 anos [n=20]; >65 anos [n=20]), visando elucidar os efeitos da imunossenescência na polarização de macrófagos e na modulação da angiogênese no CECO. Estudos desta natureza irão contribuir com o melhor entendimento dos mecanismos imunológicos e angiogênicos do CECO, especialmente afetando pacientes jovens, e propor uma sólida metodologia de análise das populações jovem e idosa no CECO, atualmente heterogênea e pouco bem definida. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
TEIXEIRA, LUCAS R.; ALMEIDA, LUCIANA Y.; SILVA, RODRIGO N.; MESQUITA, ANA T. M.; COLTURATO, CARLA B. N.; SILVEIRA, HEITOR A.; DUARTE, ANDRESSA; RIBEIRO-SILVA, ALFREDO; LEON, JORGE E. Young and elderly oral squamous cell carcinoma patients present similar angiogenic profile and predominance of M2 macrophages: Comparative immunohistochemical study. HEAD AND NECK-JOURNAL FOR THE SCIENCES AND SPECIALTIES OF THE HEAD AND NECK, v. 41, n. 12, p. 4111-4120, DEC 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.