Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo do papel do fator de crescimento de fibroblastos 21 (FGF21) como indutor autofágico durante a lesão e regeneração após a ressecção hepática associada à isquemia-reperfusão em camundongos diabéticos e sadios

Processo: 18/04625-9
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2019
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Joilson de Oliveira Martins
Beneficiário:Mariana Mendes Braz
Supervisor no Exterior: Carmen Peralta Uroz
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas (FCF). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Institut d’Investigacions Biomèdiques August Pi i Sunyer (IDIBAPS), Espanha  
Vinculado à bolsa:16/24992-0 - Estudo do papel do fator de crescimento de fibroblastos 21 (FGF21) como indutor autofágico durante a lesão e regeneração após a ressecção hepática associada à isquemia-reperfusão em camundongos diabéticos e sadios, BP.PD
Assunto(s):Estresse oxidativo   Regeneração hepática   Inflamação   Autofagia   Diabetes mellitus   Isquemia e reperfusão

Resumo

Introdução: Em situações clínicas, a hepatectomia parcial (PH) associada isquemia-reperfusão (I/R) é, geralmente, realizada para controlar o sangramento durante a ressecção hepática. Sabe-se que I/R reduz significativamente a regeneração hepática após a PH. O Diabetes mellitus (DM) está particularmente associado ao mau prognóstico da lesão I/R. O fator de crescimento de fibroblasto 21 (FGF21) tem efeitos metabólicos benéficos em modelos animais de DM. FGF21 ativa a sirtuína (SIRT1). SIRT1 desempenha papéis importantes na regulação da autofagia. A autofagia durante a fase inicial da regeneração hepática pode ser essencial para preservar a qualidade celular. Objetivos: 1) Identificar a geração de FGF21 em fígados de camundongos diabéticos submetidos a PH associada à I/R; 2) Avaliar se o FGF21 é capaz de estimular a autofagia e os consequentes efeitos deste mecanismo homeostático sobre lesões e regeneração hepáticas; 3) Investigar se a modulação do FGF21 e as proteínas associadas à autofagia podem proteger fígados contra danos e insuficiência regenerativa após a cirurgia; 4) Avaliar se o tecido adiposo também participa como fonte de geração de FGF21 após a submissão do fígado de camundongos diabéticos ao procedimento cirúrgico. Material e Métodos: serão investigados camundongos selvagens (C57BL/6) e diabéticos (alloxano, 60 mg / kg, i.v.) submetidos à cirurgia hepática e os efeitos de diferentes tratamentos farmacológicos sobre lesão hepática e regeneração e os mecanismos subjacentes. Como DM é uma das doenças que mais vitimam a população mundial, o aumento do conhecimento sobre PH sob I/R, inclusive em diabéticos, é de relevância fundamental.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.