Busca avançada
Ano de início
Entree

Estudo dos mecanismos de intercomunicação entre tecido adiposo marrom e fígado com impacto na regulação da lipogênese hepática e produção endógena de glicose

Processo: 18/05753-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Apoio a Jovens Pesquisadores
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Luiz Osório Silveira Leiria
Beneficiário:Luiz Osório Silveira Leiria
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:17/08264-8 - Estudo dos mecanismos de intercomunicação entre tecido adiposo marrom e fígado com impacto na regulação da lipogênese hepática e produção endógena de glicose, AP.JP
Assunto(s):Metabolismo energético   Hepatopatia gordurosa não alcoólica   Tecido adiposo marrom   Fígado   Lipídeos

Resumo

Devido à sua imensa capacidade de promover o "clearance" de glicose e triglicérides sanguíneos e também por ter sido identificado em quantidades significativas em seres humanos, o tecido adiposo marrom (TAM) tem sido considerado um alvo terapêutico atrativo para o tratamento do diabetes tipo 2, obesidade e doenças correlatas. Não obstante, a ativação do TAM pelo frio resulta na melhora da sensibilidade à insulina e utilização da glicose em outros tecidos tais como fígado e músculo. Estes efeitos distais decorrentes da maior atividade do TAM evidenciam a capacidade desta estrutura de também atuar como um agente secretor e capaz de exercer um papel endócrino importante na regulação do metabolismo energético. Apesar da exposição ao frio resultar em uma adaptação metabólica que traz uma série de benefícios em termos de metabolismo de lipídeos e da glucose, a viabilidade da utilização do frio como terapia é improvável e, neste contexto, a descoberta de substâncias que são produzidas e liberadas no frio e que tem a capacidade de mimetizar seus efeitos benéficos seria de extrema importância. Esta estratégia torna possível a identificação de novas alternativas para o tratamento e/ou prevenção de doenças metabólicas tais como obesidade, diabetes e a doença hepática gordurosa não-alcoólica (DHGNA). A incidência da DHGNA resulta do consumo exacerbado de dietas ricas em gordura e principalmente carboidratos, e possui papel fundamental na conexão entre obesidade/diabetes e doenças cardiovasculares. A recente aplicação de ensaios de metabolômica combinado com o uso de modelos animais transgênicos tem viabilizado a identificação de mediadores lipídicos que servem como agentes mensageiros na camunicação entre tecidos para regular o fluxo energético e a utilização de substratos. O TAM e o fígado possuem a capacidade de se comunicarem através de agentes liberados em ambas direções e que por conseguinte são capazes de modular suas funções. Com base nos nossos dados preliminaries, nós estabelecemos a hipótese segundo a qual o TAM é capaz de biosintetizar e secretar lipídios que regulam a função hepática e o perfil de expressão gênica no fígado. No presente projeto nós propusemos que os metabólitos do omega-3 e induzidos pelo frio que encontramos, sendo estes 12-HEPE, 14-HDHA e Maresina-2, são produzidos no TAM através do aumento da atividade da enzima 12-lipoxigenase (12-LOX) e são então secretados para atuar a nível hepático suprimindo a lipogênese de novo, síntese de triglicérides e produção hepática de glicose por meio do estímulo de receptors acoplados a proteína-G presentes na superfície de hepatócitos. No presente projeto apresentamos uma estratégia víavel e ao mesmo tempo inovadora para elucidar os mecanismos da interação entre TAM e fígado induzida pelo frio e identificar/caracterizar os lipídios do omega-3 com potencial terapêutico para o tratamento da DHGNA e diabetes tipo-2. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.