Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da infecção do Zika vírus no desenvolvimento placentário

Processo: 18/07895-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 27 de agosto de 2018
Vigência (Término): 26 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sonia Maria Oliani
Beneficiário:Rafaela Batista Molás Mendes
Supervisor no Exterior: Suchita Nadkarni
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa: Queen Mary University of London, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:17/09136-3 - Proteína Anexina A1: caracterização e função em placentas infectadas com Zika Vírus, BP.MS
Assunto(s):Placenta   Vírus Zika   Inflamação   Angiogênese   Gravidez

Resumo

Estudos que permitem a compreensão dos mecanismos que desempenham um papel na fisiopatologia placentária são extremamente relevantes e podem ajudar a entender as muitas complicações que comprometem a gravidez e a saúde fetal. As infecções virais durante a gravidez têm sido demonstradas como causa de abortos espontâneos, natimortos, infecção fetal, restrição do crescimento intrauterino, ruptura prematura de membranas e parto pré-termo. A infecção por ZIKV está fortemente associada à ocorrência de microcefalia em recém-nascidos de mães infectadas com este vírus. Quando a infecção viral materna ocorre, leva à replicação viral produtiva na placenta e a uma resposta inflamatória fetal que pode ter resultados deletérios, mesmo que o vírus nem sempre seja detectado no feto. O processo de angiogênese é essencial para o sucesso gestacional. Os distúrbios vasculares, que podem levar à diminuição dos níveis de oxigênio, podem alterar a função placentária, prejudicar o desenvolvimento fetal e, finalmente, a saúde do bebê após o nascimento. Estudos recentes descobriram que o vírus induz altos níveis de inflamação nos vasos sanguíneos do útero e danifica as vilosidades placentárias, com crescimento ramificado que ajudam a transferir oxigênio e nutrientes do sangue materno para o feto. Neste estudo, nós hipotetizamos que a infecção por ZIKV poderia induzir inflamação e perturbar a função e vascularização placentária. Considerando a importância fisiológica dos vasos sangüíneos, angiogênese e inflamação durante a gestação, neste estudo investigaremos a expressão e localização do VEGF, seus receptores, leucócitos e a proteína pró-angiogênica e anti-inflamatória ANXA1 em placentas de mulheres infectadas pelo Zika vírus.

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
RIBEIRO, MILENE ROCHA. The involvement of annexin A1 in human placental response to maternal Zika virus infection. Antiviral Research, v. 179, JUL 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.