Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeitos da infecção do Zika Vírus no desenvolvimento placentário

Processo: 18/07895-7
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 27 de agosto de 2018
Vigência (Término): 26 de novembro de 2018
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Morfologia - Histologia
Pesquisador responsável:Sonia Maria Oliani
Beneficiário:Rafaela Batista Molás Mendes
Supervisor no Exterior: Suchita Nadkarni
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : Queen Mary University of London, Inglaterra  
Vinculado à bolsa:17/09136-3 - Proteína Anexina A1: caracterização e função em placentas infectadas com Zika Vírus, BP.MS
Assunto(s):Placenta   Vírus Zika   Inflamação   Angiogênese   Gravidez

Resumo

Estudos que permitem a compreensão dos mecanismos que desempenham um papel na fisiopatologia placentária são extremamente relevantes e podem ajudar a entender as muitas complicações que comprometem a gravidez e a saúde fetal. As infecções virais durante a gravidez têm sido demonstradas como causa de abortos espontâneos, natimortos, infecção fetal, restrição do crescimento intrauterino, ruptura prematura de membranas e parto pré-termo. A infecção por ZIKV está fortemente associada à ocorrência de microcefalia em recém-nascidos de mães infectadas com este vírus. Quando a infecção viral materna ocorre, leva à replicação viral produtiva na placenta e a uma resposta inflamatória fetal que pode ter resultados deletérios, mesmo que o vírus nem sempre seja detectado no feto. O processo de angiogênese é essencial para o sucesso gestacional. Os distúrbios vasculares, que podem levar à diminuição dos níveis de oxigênio, podem alterar a função placentária, prejudicar o desenvolvimento fetal e, finalmente, a saúde do bebê após o nascimento. Estudos recentes descobriram que o vírus induz altos níveis de inflamação nos vasos sanguíneos do útero e danifica as vilosidades placentárias, com crescimento ramificado que ajudam a transferir oxigênio e nutrientes do sangue materno para o feto. Neste estudo, nós hipotetizamos que a infecção por ZIKV poderia induzir inflamação e perturbar a função e vascularização placentária. Considerando a importância fisiológica dos vasos sangüíneos, angiogênese e inflamação durante a gestação, neste estudo investigaremos a expressão e localização do VEGF, seus receptores, leucócitos e a proteína pró-angiogênica e anti-inflamatória ANXA1 em placentas de mulheres infectadas pelo Zika vírus.

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.