Busca avançada
Ano de início
Entree

Correlação entre transtornos psicológico-comportamentais e déficits cognitivos e funcionais na Doença de Alzheimer

Processo: 18/04535-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de abril de 2019
Vigência (Término): 31 de março de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Benito Pereira Damasceno
Beneficiário:Matheus Noronha Alberti
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Médicas (FCM). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Neurologia   Doenças neurodegenerativas   Doença de Alzheimer   Demência   Qualidade de vida   Sinais e sintomas   Análise quantitativa

Resumo

Introdução: A Doença de Alzheimer (DA) é a forma mais comum de demência (cerca de 50 a 70% dos casos), afetando mais de 35 milhões de pessoas. Trata-se de uma doença neurodegenerativa progressiva causada pelo acúmulo excessivo de proteínas B-amiloide e tau hiperfosforilada no cérebro, que ocorre inicialmente nos neurônios do lobo temporal medial e nas células piramidais do córtex. Com o tempo, a consequência desse acúmulo proteico anormal é a morte neuronal e a falha sináptica por conta da toxicidade gerada. O diagnóstico da DA propriamente dita se dá pelos critérios clínicos da demência, com afecção de ao menos dois dos cinco grandes domínios cognitivos (memória, funções executivas, linguagem, habilidades visuo-espaciais e personalidade), junto à presença da patologia da DA. Os sintomas envolvem déficits cognitivos relacionados aos domínios em questão e também sintomas neuropsiquiátricos, como delírios, alucinações, depressão, apatia, ansiedade, perambulação, agitação, agressão e labilidade emocional. Justificativa: Projeções apontam que até 2050 mais de 115 milhões de pessoas serão diagnosticadas com a doença, o que reforça a importância do aumento de pesquisas que visem não apenas desvendar a patogênese e buscar novos métodos terapêuticos para a doença, mas também auxiliar na elaboração de novas e melhores estratégias para tornar a qualidade de vida dos pacientes acometidos com a DA e seus respectivos cuidadores a melhor possível durante o curso da doença. Objetivos: É objetivo deste projeto avaliar os sintomas psicológico-comportamentais de pacientes com a DA em diferentes estágios evolutivos, correlacionando-os com os déficits cognitivos e funcionais e os impactos gerados no paciente e cuidador. Metodologia: Serão estudados, através de uma avaliação abrangente compreendendo a história médica e anamnese detalhada do paciente, o mini-exame do estado mental, a escala CDR, o questionário Pfeffer e o inventário Neuropsiquiátrico, cerca de 40 pacientes do ambulatório de neuropsicológica e demência do Hospital das Clínicas da Unicamp, para uma futura análise quantitativa e qualitativa dos dados obtidos.