Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção molecular de Paracoccidioides brasiliensis e P. lutzii em animais da ordem Xenarthra atropelados na região do Mato Grosso do Sul

Processo: 19/02842-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de julho de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Microbiologia - Microbiologia Aplicada
Pesquisador responsável:Eduardo Bagagli
Beneficiário:Francine Antunes Nunes
Instituição-sede: Instituto de Biociências (IBB). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de Botucatu. Botucatu , SP, Brasil
Assunto(s):Paracoccidioidomicose   Paracoccidioides brasiliensis   Identificação molecular   Reação em cadeia por polimerase (PCR)

Resumo

A paracoccidioidomicose (PCM) é a micose sistêmica endêmica mais importante da América Latina, causada pelo (s) agente (s) fúngico Paracoccidioides spp., principalmente o P. brasiliensis. A dificuldade de isolamento do fungo, em especial de amostras ambientais associado ao longo período de latência apresentado pela doença e ausência de surtos epidêmicos, limitam os estudos ecológicos sobre o fungo e definição exata dos locais e condições em que ocorrem as infecções. Um dos poucos aspectos ambientais conhecidos do fungo é sua associação com alguns animais silvestres, como o tatu de nove bandas (Dasypus novemcinctus). O objetivo desse trabalho é detectar e identificar molecularmente Paracoccidioides spp., por meio da Nested PCR, em tecidos de diferentes animais da ordem Xenarthra (tamanduás, outras espécies de tatu), provenientes de animais atropelados de regiões ainda pouco estudadas (Mato Grosso do Sul. Os dados a serem obtidos deverão contribuir na compreensão melhor do (s) nichos ecológicos do fungo e definição das áreas endêmicas para PCM.