Busca avançada
Ano de início
Entree

Mecanismos moleculares e funcionais envolvidos nos efeitos do ácido biliar TUDCA sobre o tecido adiposo perivascular frente a restrição proteica

Processo: 19/15164-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 30 de setembro de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Ana Paula Couto Davel
Beneficiário:Israelle Netto Freitas
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Assunto(s):Fisiologia cardiovascular   Aorta torácica   Artérias mesentéricas   Ácidos e sais biliares   Tecido adiposo

Resumo

A desnutrição é um grave problema de saúde pública que acomete principalmente crianças de países em desenvolvimento. A restrição nutricional de proteínas durante o desenvolvimento pode culminar em desordens cardiometabólicas na vida adulta, com maior risco de desenvolvimento de Diabetes Tipo 2 e Hipertensão Arterial. O tecido adiposo perivascular (PVAT) participa do controle da homeostase vascular e fisiologicamente apresenta efeito anticontrátil e anti-inflamatório. Sugere-se que a disfunção do PVAT está envolvida no dano vascular associado à Obesidade, Hipertensão Arterial e Diabetes, porém não há dados na literatura que tenham avaliado a função desse tecido frente à restrição proteica. Estudos recentes levantam o potencial terapêutico do ácido biliar tauroursodesoxicólico (TUDCA) em distúrbios metabólicos que afetam o sistema cardiovascular, e dentre os mecanismos envolvidos destaca-se a atenuação do Estresse de Retículo (ER). O PVAT é um importante mediador do ER vascular em camundongos obesos, efeito que é atenuado pelo TUDCA. Nosso grupo de pesquisa tem demonstrado o potencial terapêutico do TUDCA na secreção de insulina frente à obesidade. Nesse projeto levantamos a hipótese de que o tratamento com TUDCA poderia ser benéfico para o dano vascular associado à restrição proteica, por mecanismos que melhorem a função do PVAT. O objetivo é esclarecer os mecanismos moleculares e funcionais envolvidos no efeito do TUDCA sobre o PVAT frente à restrição proteica. Para tanto, serão utilizadas duas abordagens metodológicas: 1) in vivo: camundongos serão submetidos à dieta controle ou com restrição proteica, e tratados ou não com TUDCA via intraperitoneal (i.p) na dose (300 mg/kg/dia) ou PBS. Aorta torácica e artérias mesentéricas de resistência serão isoladas com e sem PVAT para avaliação da reatividade vascular. No PVAT será avaliada a produção de óxido nítrico (NO), Espécies Reativas de Oxigênio (EROS), adipocinas e marcadores de ER e morfologia; 2) in vitro: adipócitos derivados do PVAT em cultura serão submetidos a meio controle ou com restrição de aminoácidos, na presença ou não de TUDCA (200 µM) e então será avaliada a viabilidade celular, a produção de NO, EROS, adipocinas e marcadores de ER, e as vias de sinalização envolvidas. (AU)