Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação in vitro da interação do hormônio tiroideano com o sistema nervoso simpático, via receptores beta 2 adrenérgicos, no tecido ósseo e em osteoblastos

Processo: 18/02323-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de outubro de 2019
Vigência (Término): 31 de agosto de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Cecilia Helena de Azevedo Gouveia
Beneficiário:Bianca Neofiti Papi
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Sistema nervoso simpático   Endocrinologia   Osso e ossos   Remodelação óssea   Hormônios tireóideos

Resumo

O hormônio tiroideano (HT) é fundamental para o desenvolvimento e metabolismo ósseos, entretanto, os mecanismos através dos quais o HT regula esses processos são pouco entendidos. Recentemente, o sistema nervoso simpático (SNS) foi identificado como um potente regulador do metabolismo ósseo. Demonstrou-se que as ações do SNS são mediadas por receptores Beta2-adrérgicos (Beta2-AR) presentes em osteoblastos, sendo que a deleção gênica do Beta2-AR em camundongos leva a um fenótipo de alta massa óssea (AMO). Estudos do nosso grupo mostraram que os adrenoceptores ±2 (±2-AR) também medeiam ações do SNS no esqueleto e que há uma interação entre o HT e a via de sinalização dos receptores ±2 adrenérgicos para regular a massa óssea. Recentemente, observamos que camundongos Beta2-AR-/- são resistentes aos efeitos deletérios da tirotoxicose no esqueleto, especialmente na reabsorção endosteal do osso cortical, o que reforça a hipótese de que há interação entre o HT e SNS para regular a massa óssea, sugerindo que essa interação também envolve a sinalização dos receptores Beta2 adrenérgicos. Contudo, ainda não é claro se a interação do SNS com o HT ocorre diretamente no esqueleto. O presente estudo tem como objetivo avaliar se o HT interage com a via de sinalização do Beta2-AR, localmente, no tecido ósseo e em osteoblastos, para regular esses processos. Para tanto, será estabelecido um sistema de cultura de órgão de fêmures e tíbias, e um sistema de cultura primária de osteoblastos, derivados de animais Beta2-AR-/- e selvagens. As culturas de órgão serão utilizadas para os estudos do remodelamento ósseo, através da análise da expressão de genes relacionados ao metabolismo ósseo e de histologia. As culturas primárias de osteoblastos serão estabelecidas a partir da calvaria dos camundongos, e serão utilizadas para o estudo da biologia dos osteoblastos, através da avaliação da proliferação, diferenciação, e atividade dessas células. O presente estudo contribuirá para o entendimento dos mecanismos de ação do HT para regular o remodelamento ósseo e a biologia celular dos osteoblastos.