Busca avançada
Ano de início
Entree

Uso do beta-trifosfato de cálcio em conjunto com a membrana de látex natural na regeneração óssea guiada de defeito ósseo em tíbia de ratas osteopênicas

Processo: 19/11958-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2020
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2021
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Fisioterapia e Terapia Ocupacional
Pesquisador responsável:Antônio Carlos Shimano
Beneficiário:Guilherme Jafroni Alves Silva
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Ortopedia   Doenças ósseas metabólicas   Regeneração óssea guiada   Osso e ossos   Látex   Modelos animais de doenças   Técnicas histológicas   Densitometria óssea   Ensaios mecânicos

Resumo

A consolidação óssea é um processo complexo envolvendo etapas específicas. Quando estas não são bem desempenhadas podem comprometer a composição óssea. Um dos fatores que geram alterações osteometabólicas na consolidação óssea é a osteoporose. Devido aos problemas de regeneração do tecido ósseo, diversos recursos foram desenvolvidos para melhorar a recomposição tecidual do osso. A membrana de látex natural, sintetizada a partir do látex natural extraído da seringueira Hevea brasiliensis, é um biomaterial que vem sendoestudado e têm mostrando resultados promissores na melhora da capacidade regenerativa, apresentando a capacidade de induzir a neovascularização e a proliferação tecidual, além de ser um material de baixo custo e fácil manipulação. Outro recurso são os enxertos ósseos como o Beta-Trifosfato de Cálcio (B-TCP), uma fase do fosfato de cálcio, que possui características de biocompatibilidade, bioatividade e osteocondutividade. A associação desses dois recursos como possível estratégia para otimizar a capacidade de reparação óssea é uma alternativa para busca de melhores resultados dentro de um tratamento. Em suma, o objetivo deste estudo é analisar a influência do B-TCP em conjunto com a membrana de látex natural na regeneração e remodelação óssea. Serão utilizados cinquenta (50) ratas da raça Sprague-dawley, com peso médio de 200g. Para a indução da redução da massa óssea, as ratas serão ovariectomizadas. Após 90 dias da ovariectomia, um defeito ósseo será realizado bilateralmente nas tíbiasdos animais. Os animais serão divididos em cinco grupos experimentais (n=10): grupo controle (C), o defeito ósseo não será tratado especificamente; grupo Látex (L), o defeito ósseo será tratado apenas com a membrana de látex; grupo (B-TCP), o defeito ósseo será tratado com B-TCP; grupo (L+B-TCP), tratamento com B-TCP dentro do defeito ósseo recoberto com a membrana de látex e grupo SHAM, nesse não será realizada a retirada dos ovários e os defeitos ósseos não receberam tratamento específico. Após 21 dias, os animais serão eutanasiados, as tíbias e fêmures serão dissecados e armazenados. As tíbias e fêmures esquerdos serão destinados a ensaio mecânico e densitometria óssea e as tíbias e fêmures direitos serão utilizados para análise histológica para caracterização da microarquitetura óssea, quantificação da neoformação óssea e quantificação das fibras de colágeno.