Busca avançada
Ano de início
Entree

Adolescentes com anemia falciforme submetidos ao transplante de células-tronco hematopoéticas: vivências do pós-tratamento

Processo: 19/19419-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de março de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia
Pesquisador responsável:Érika Arantes de Oliveira-Cardoso
Beneficiário:Aline Guerrieri Accoroni
Instituição-sede: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto (FFCLRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Assunto(s):Psicologia hospitalar   Anemia falciforme   Transplante de células-tronco hematopoéticas   Células-tronco hematopoéticas   Adolescência   Entrevista   Estudos transversais   Análise de conteúdo

Resumo

A anemia falciforme (AF) é uma doença genética pertencente ao grupo de doenças falciformes, determinada pela homozigose da hemoglobina S - Hb SS e caracteriza-se pela forma de maior gravidade clínica, sendo também a mais prevalente. O único tratamento com possibilidade curativa para anemia falciforme é o Transplante de Células-Tronco Hematopoéticas (TCTH). O TCTH impacta de maneira importante a vida dos pacientes, sendo que cada indivíduo vivenciará essa etapa de maneira diferente, de acordo com suas experiências prévias, o apoio a que tem acesso durante todo o processo e também no que diz respeito ao seu momento de vida. No que concerne a esse último aspecto, sabe-se que a adolescência é uma etapa do desenvolvimento humano caracterizada por uma série de transformações biológicas, psicológicas e sociais. É neste contexto adverso que emerge a questão do presente estudo: qual é a percepção dos adolescentes diagnosticados com anemia falciforme acerca do TCTH e de seus possíveis impactos e desdobramentos em seu processo de desenvolvimento? Dessa forma, objetiva-se descrever as características sociodemográficas e clínicas dos participantes; investigar a rede de apoio a qual cada participante teve acesso durante o TCTH; e conhecer a percepção dos pacientes adolescentes sobre o TCTH, englobando aspectos físicos, psicológicos e sociais, e os possíveis desdobramentos que a doença e o tratamento têm em suas vidas. Trata-se de um estudo qualitativo e transversal com realização de estudos de caso múltiplos. A amostra será composta por pacientes adolescentes diagnosticados com anemia falciforme, com idade entre 12 e 18 anos, de ambos os sexos, vinculados à Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - HCFMRP-USP. Serão entrevistados 10 pacientes, arregimentados consecutivamente e agendados com consulta no ambulatório Pós-TCTH durante o ano de 2020. Para coleta de dados serão utilizados os instrumentos: roteiro de entrevista semiestruturada e instrumento de Classificação Econômica Critério Brasil. A coleta de dados será realizada individualmente, em situação face a face, ao longo de um encontro, que acontecerá em ambiente preservado em uma sala do ambulatório, resguardando-se os princípios de conforto e privacidade. A entrevista será audiogravada mediante anuência dos participantes e consentimento de seu responsável. Estima-se que a coleta de dados tenha duração aproximada de 30 minutos. As entrevistas obtidas a partir de registro audiogravado serão transcritas na íntegra e literalmente, respeitando a sequência e a forma como foram apresentadas as falas. Posteriormente, os dados serão submetidos à análise de conteúdo temática. Espera-se compreender a retomada da vivência dos adolescentes após o TCTH, visando aprimorar as estratégias de intervenções da equipe multiprofissional. (AU)