Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da função tímica em pacientes com anemia falciforme

Processo: 14/03866-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2014
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2018
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Kelen Cristina Ribeiro Malmegrim de Farias
Beneficiário:Luciana Ribeiro Jarduli
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:13/08135-2 - CTC - Centro de Terapia Celular, AP.CEPID
Bolsa(s) vinculada(s):16/11544-0 - Avaliação da função tímica em pacientes com anemia falciforme após o transplante de células-tronco hematopoiéticas e convencionalmente tratados, BE.EP.DR
Assunto(s):Anemia falciforme   Hidroxiureia   Linfócitos T   Transplante de células-tronco hematopoéticas   Transplante homólogo

Resumo

A anemia falciforme (AF) é a doença monogênica mais comum no mundo, com importante impacto clínico, social e epidemiológico. No Brasil, é a doença hereditária mais comum, ocorrendo predominantemente entre afrodescendentes. A doença é caracterizada por anemia hemolítica crônica, estado inflamatório e pró-coagulante crônicos e fenômenos vaso-oclusivos que levam a crises dolorosas agudas, lesão tecidual crônica e progressiva de múltiplos órgãos e um amplo espectro de complicações clínicas. Entre os tratamentos disponíveis para a AF estão a hidroxiureia, a transfusão sanguínea e o transplante alogênico de células-tronco hematopoéticas (TCTH). A hidroxiureia, apesar de beneficiar um número importante de pacientes, tem suas indicações e limitações. Já a transfusão sanguínea é utilizada somente em circunstâncias especiais, e, ambas as terapias, não revertem completamente o estado inflamatório. Desse modo, atualmente o TCTH alogênico constitui a única opção curativa para esses pacientes com AF. Pacientes com AF apresentam grande suscetibilidade às infecções. Sabe-se que o timo é um órgão de extrema importância na prevenção e controle de infecções. Embora praticamente todos os órgãos sejam afetados na AF, atualmente não existem dados na literatura sobre como a doença afeta o timo e sua função. Assim, é de extrema relevância a avaliação da função tímica nesses pacientes. Após o TCTH alogênico, a reativação tímica é fundamental para a qualidade da reconstituição imunológica e correlaciona-se com a sobrevida do paciente, ocorrência de infecções graves e evolução clínica. Portanto, este presente projeto tem como objetivo geral avaliar a função tímica em pacientes com anemia falciforme antes e após tratamento com hidroxiureia, antes e após tratamento com TCTH alogênico, pacientes sem tratamento e em indivíduos controles sadios. Para isso, avaliaremos nestes grupos de pacientes: I) expressão absoluta de T cell receptor excision circles (TRECs) em células T do sangue periférico; II) análise da diversidade do repertório de células T; III) níveis séricos de agentes "timo-estimuladores" IL-7, IL-22, KGF (keratinocyte growth fator), leptina, hGH (human growth hormone), TSLP (thymic stromal lymphopoietin) e "timo-supressores" IL-6, LIF (leukemia inhibitory fator) e OSM (oncostatin M); iv) correlação dos resultados laboratoriais com a avaliação clínica dos pacientes. Este estudo ajudará a desvendar se a função tímica é defeituosa em pacientes com AF e se os tratamentos atuais para essa doença melhoram a função tímica nesses pacientes, abrindo possibilidades de outras intervenções terapêuticas. Além disso, este estudo contribuirá para o esclarecimento dos mecanismos imunológicos de ação envolvidos no TCTH alogênico no tratamento da AF, o único tratamento curativo para AF, o que é necessário para a aplicação mais ampla e efetiva desta terapia nos pacientes com AF. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
JARDULI, Luciana Ribeiro. Neogênese de células T e B em pacientes com doença falciforme tratados com diferentes modalidades terapêuticas. 2018. Tese de Doutorado - Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto Ribeirão Preto.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.