Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise dos níveis sanguíneos de hidroxicloroquina em pacientes com Síndrome de Sjogren primária e sua possível correlação com a atividade de doença

Processo: 20/09367-8
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de agosto de 2020
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Sandra Gofinet Pasoto
Beneficiário:Lorena Elizabeth Betancourt Villamarín
Instituição-sede: Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (HCFMUSP). Secretaria da Saúde (São Paulo - Estado). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:15/03756-4 - Avaliação da relevância dos níveis sanguíneos de drogas utilizadas em doenças autoimunes reumatológicas no acompanhamento da segurança, eficácia e aderência à terapêutica, AP.TEM
Assunto(s):Reumatologia   Hidroxicloroquina   Síndrome de Sjögren   Doenças autoimunes   Fluxo sanguíneo   Cromatografia líquida de alta eficiência   Espectrometria de massas em Tandem

Resumo

A Síndrome de Sjögren primária (SSp) é uma doença autoimune caracterizada especialmente pela infiltração inflamatória crônica das glândulas salivares e lacrimais causando os sintomas de olho e boca secos. Podem também ocorrer múltiplas manifestações sistêmicas. A Hidroxicloroquina (HCQ), um imunomodulador antimalárico, tem sido usada para o tratamento das Artralgias, Mialgia e sintomas constitucionais decorrentes da SSp. Contudo, não há estudos avaliando se os níveis sanguíneos de HCQ poderiam influenciar na resposta terapêutica, como vem sendo reportado no Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES). Objetivos: Avaliar em pacientes com SSp recebendo HCQ como parte de seu tratamento: os níveis sanguíneos de HCQ; a aderência medida através de questionário versus níveis sanguíneos; a possível correlação dos níveis sanguíneos com o score de atividade da doença em uma avaliação transversal e seguida por uma avaliação longitudinal de seis meses. Pacientes e métodos: Estudo observacional de corte transversal seguido por uma avaliação longitudinal de 6 meses, incluindo pacientes com SSp recebendo HCQ por pelo menos 3 meses à entrada no estudo. Os pacientes serão avaliados clinicamente e com dosagem dos níveis sanguíneos de HCQ à entrada no estudo (T0), aos 3 meses (T3) e aos 6 meses (T6). Como não há estudos prévios sobre os níveis sanguíneos de HCQ em pacientes com SSp, a amostra de 75 pacientes foi calculada com base na porcentagem desses pacientes em uso atual de HCQ em nosso Serviço (cerca de 50%) e no número de pacientes em seguimento ambulatorial atual (cerca de 150). Serão então avaliados 75 pacientes adultos com SSp de acordo com os critérios de classificação do American-European Consensus Group, 2002 e/ou do American College of Rheumatology (ACR) e da European League Against Rheumatism (EULAR) de 2016, de ambos os sexos e seguidos regularmente no Ambulatório de Síndrome de Sjögren do Serviço de Reumatologia do Hospital das Clínicas, Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). Serão utilizados na avaliação clínica: o inventário de xerostomia; o questionário de xeroftalmia - Ocular Surface Disease Index (OSDI); o EULAR Sjögren Syndrome Reported Index (ESSPRI); o EULAR Sjögren Syndrome Disease Activity Index (ESSDAI); o Sjögren's Syndrome Disease Damage Index (SSDDI); o fluxo salivar não-estimulado e estimulado e o 8-item Morisky Medication Adherence Scale. Os níveis sanguíneos de HCQ serão mensurados por cromatografia líquida de alta eficiência e espectrometria de massa em Tandem. (AU)