Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização funcional de genes envolvidos na carcinogênese e desenvolvimento do carcinoma de pênis

Processo: 09/11203-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de fevereiro de 2010
Vigência (Término): 30 de novembro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Genética Humana e Médica
Pesquisador responsável:Paula Rahal
Beneficiário:Marilia de Freitas Calmon
Instituição-sede: Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (IBILCE). Universidade Estadual Paulista (UNESP). Campus de São José do Rio Preto. São José do Rio Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:09/52088-3 - O carcinoma de pênis: estudo de um problema brasileiro abordando da morfologia aos mecanismos moleculares, AP.TEM
Assunto(s):Neoplasias dos genitais masculinos

Resumo

Nos Estados Unidos a taxa de incidência para o câncer de pênis é de 0,2 casos para cada 100.000 habitantes e praticamente zero em israelenses. Entretanto, é um problema de saúde substancial em países em desenvolvimento e pode constituir até 10% das malignidades em homens em alguns países da África e da América do Sul. No Brasil, o tumor representa 2% de todos os casos de câncer no homem, sendo mais frequente nas regiões Norte e Nordeste do que nas regiões Sul e Sudeste. Nas regiões de maior incidência, o câncer de pênis supera os casos de câncer de próstata e de bexiga. Embora o carcinoma de células escamosas de pênis possa ocorrer em qualquer idade, a maioria dos casos afeta indivíduos de idade avançada, com um pico de incidência por volta de 60 anos. Entre os fatores de risco para este tipo de câncer estão as condições precárias de higiene de indivíduos não circuncisados, o acúmulo de smegma sobre a pele do prepúcio, a fimose, doenças preexistentes como infecções por HPV e HIV, consumo de cigarro e exposição prolongada a radiação ultravioleta. O câncer de pênis é, na maioria dos casos, de origem epitelial escamosa e incluem os carcinomas in situ, que estão restritos ao epitélio e não infiltra a camada inferior da derme, e carcinomas invasivos, que são representados pelo carcinoma de células escamosas e sua variante de baixo grau bem diferenciado, o carcinoma verrucoso. A apresentação clínica do carcinoma de pênis é variada, indo de um intumescimento sutil, pequena excrescência, pústula ou crescimento verrugoso para um carcinoma extensivo com descamação. A progressão do câncer de pênis ocorre de uma maneira loco-regional, com envolvimento sequencial de linfonodos inguinais e pélvicos antes do desenvolvimento de metástases distantes. Os sítios comuns reportados para as metástases incluem pulmão, cérebro e osso. A recorrência do tumor pode desenvolver dentro do sistema linfático com nódulos discretos ou em sítios distantes como já foi estabelecido. A morte dos indivíduos ocorre frequentemente em consequência de inanição e sepsia ou de sangramento como resultado de erosão de veias femurais causada por ulceração de metástases inguinais. O conhecimento sobre as mudanças patogênicas que ocorrem no câncer de pênis ainda é muito limitado principalmente por causa de um numero pequeno de amostras e escassez de tecidos patológicos para pesquisa pré clinica. As pesquisas em níveis pré-clínicos ou clínicos têm sido focadas em associações virais, entretanto fatores genéticos e moleculares também desempenham um papel importante na carcinogênese de pênis sendo que muitos destes fatores são independentes da infecção por HPV. O carcinoma de pênis e uma doença rara e há poucos estudos sobre as alterações moleculares neste tipo de câncer. Portanto, é de fundamental importância estudar as mudanças genéticas que ocorrem em câncer de pênis e o papel dos genes para a carcinogênese e desenvolvimento do câncer de pênis. Estudos funcionais têm demonstrado uma grande eficiência em prover novas informações sobre como determinados genes pode influenciar no desequilíbrio da homeostase celular e com isso suas possíveis consequências na carcinogênese. Assim, a análise funcional de genes específicos pode revelar como eles atuam no controle do crescimento e diferenciação celular, no metabolismo celular, apoptose e na tumorigênese, ajudando na identificação de marcadores pra um diagnóstico precoce, identificação de marcadores de prognóstico e no delineamento no tratamento da doença. Tendo em vista o exposto, o objetivo geral deste projeto é analisar os mecanismos de atuação dos genes selecionados por meio de técnicas de analise em larga escala da expressão de genes em carcinoma de pênis por meio de diversos estudos funcionais, procurando, com isso, identificar as vias nos quais estes genes estão inseridos. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
CALMON, MARILIA FREITAS; SICHERO, LAURA; BOCCARDO, ENRIQUE; VILLA, LUISA LINA; RAHAL, PAULA. HPV16 E6 regulates annexin 1 (ANXA1) protein expression in cervical carcinoma cell lines. VIROLOGY, v. 496, p. 35-41, SEP 2016. Citações Web of Science: 3.
CALMON, MARILIA FREITAS; DE OLIVEIRA MOTA, MANLIO TASSO; BABETO, ERICA; CANDIDO, NATALIA MARIA; GIROL, ANA PAULA; MENDIBURU, CARLOS FABIAN; BONILHA, JANE LOPES; DUARTE SILVESTRE, RODRIGO VELLASCO; ROSA, BRUNO MIZIARA; THOME, JORGE ALBERTO; AMERICO MEDEIROS, GUSTAVO HERNANDEZ; SOARES, FERNANDO AUGUSTO; GUIMARAES, GUSTAVO CARDOSO; FERRAZ DE ARRUDA, JOSE GERMANO; OLIANI, SONIA MARIA; VILLA, LUISA LINA; VASSALLO, JOSE; RAHAL, PAULA. Overexpression of ANXA1 in Penile Carcinomas Positive for High-Risk HPVs. PLoS One, v. 8, n. 1 JAN 14 2013. Citações Web of Science: 13.
CALMON, MARILIA FREITAS; DE SOUZA, ARYANE TOFANELLO; CANDIDO, NATALIA MARIA; BARTOLOMEU RAPOSO, MARIA IRENE; TABOGA, SEBASTIAO; RAHAL, PAULA; NERY, JOSE G. A systematic study of transfection efficiency and cytotoxicity in HeLa cells using iron oxide nanoparticles prepared with organic and inorganic bases. COLLOIDS AND SURFACES B-BIOINTERFACES, v. 100, p. 177-184, DEC 1 2012. Citações Web of Science: 21.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.