Busca avançada
Ano de início
Entree

Equivalência de estímulos em infra-humanos (Columba livia): em busca de um modelo animal para o estudo do comportamento simbólico

Processo: 09/10769-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Pós-Doutorado
Vigência (Início): 01 de novembro de 2009
Vigência (Término): 31 de outubro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia Experimental
Pesquisador responsável:Gerson Aparecido Yukio Tomanari
Beneficiário:Saulo Missiaggia Velasco
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:08/57705-8 - Instituto de Estudos sobre Comportamento, Cognição e Ensino, AP.TEM
Assunto(s):Equivalência de estímulos   Condicionamento (psicologia)   Pombos

Resumo

As propriedades da equivalência (i.e., reflexividade, simetria e transitividade) vêm sendo largamente demonstradas em humanos verbalmente hábeis. Entretanto, tal demonstração tem sido muito mais difícil em humanos não verbais e em animais infra-humanos. O presente projeto de investigação pretende subsidiar a demonstração da formação de classes de equivalência em infra-humanos, propondo um procedimento inovador no controle de variáveis que parecem estar relacionadas aos inúmeros fracassos e eventuais sucessos em tal demonstração. A inovação metodológica está na estratégia proposta para testar as propriedades da equivalência sob reforçamento diferencial. Depois de treinadas as relações de linha de base (AB, CD), oito pombos serão expostos a testes em que relações simétricas (BA, DC) serão testadas em tentativas com reforçamento programado. Para controlar os possíveis efeitos de uma rápida modelagem das relações simétricas durante os testes, relações inéditas entre estímulos da linha de base (BC, DA) serão reforçadas concomitantemente e os desempenhos dos sujeitos comparados aos obtidos nas relações simétricas. Evidência de simetria será considerada caso, na primeira sessão de teste, os sujeitos respondam com acurácia bem acima do nível do acaso nas relações simétricas e ao nível do acaso nas relações inéditas. Evidência um pouco mais fraca será indicada caso, ao longo de repetidos testes, as primeiras forem adquiridas mais rapidamente do que as últimas. Por não serem inconsistentes com a linha de base, as relações inéditas passarão a integrá-la para que outras relações possam ser avaliadas. Por exemplo, o treino das relações inéditas BC, após o das relações de linha de base AB, possibilitará que sejam testadas relações transitivas (AC) e transitivas simétricas (CA) as quais serão comparadas a outras relações inéditas reforçadas.