Busca avançada
Ano de início
Entree


Dinâmica do nitrogênio em sistemas de produção sob semeadura direta

Texto completo
Autor(es):
Gustavo Castoldi
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Faculdade de Ciências Agronômicas (Campus de Botucatu).
Data de defesa:
Membros da banca:
Roberto Lyra Villas Bôas; Heitor Cantarella; Monica Sarolli Silva Mendonça Costa; Waldo Alejandro Ruben Lara Cabezas
Orientador: Ciro Antonio Rosolem
Resumo

O ciclo do N no sistema solo-planta é bastante complexo, com diversas vias de entrada e saída. Alterações no manejo do solo e das espécies cultivadas podem afetar sua dinâmica, de modo que a avaliação integrada desses processos é essencial para o melhor entendimento do ciclo do N em sistemas de produção agrícola. Objetivou-se avaliar a dinâmica do N em sistemas de produção de soja rotacionada com plantas de cobertura, com enfoque na contribuição dos sistemas para o estoque de N no solo e nas principais perdas de N. O experimento foi conduzido em um Latossolo Vermelho, de textura argilosa, em Botucatu, SP. A área vem sendo cultivada há treze anos em semeadura direta e os atuais tratamentos são os mesmos desde 2006. No outono/inverno foram cultivados brachiaria ruziziensis (Brachiaria ruziziensis), sorgo granífero (Sorghum bicolor) e estas espécies em consórcio; na primavera foram cultivados, em sub-parcelas, crotalária (Crotalaria juncea), milheto (Pennisetum americanum) e sorgo forrageiro (Sorghum bicolor), antecedendo a cultura da soja (Glycine Max) no verão. Avaliou-se por dois anos a produtividade de grãos, matéria seca, acúmulo de N e relação C/N das plantas envolvidas no sistema, bem como o estoque de N no solo. Avaliaram-se ainda, por um ano, as entradas de N via sementes, deposições atmosféricas e pulverizações, e as saídas via lixiviação de NO3-, emissão de NH3 a partir da palhada e da parte aérea das plantas e emissão de N2O a partir do solo. De modo geral, as perdas de N nas formas de NO3-, NH3 e N2O variaram, respectivamente, de 11,2 a 24,2, 10,6 a 19,0 e 1,2 a 9,7 kg ha-1 ano-1, sendo os maiores valores observados nos sistemas com brachiaria no inverno ou crotalária na primavera. Tais perdas parecem ser decorrentes do maior acúmulo de N nestas culturas. No caso da ... (AU)

Processo FAPESP: 11/01955-9 - Ciclagem do nitrogênio em sistemas de produção sob semeadura direta
Beneficiário:Gustavo Castoldi
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado