Busca avançada
Ano de início
Entree


Macroinvertebrados aquáticos na decomposição de plantas C3 e C4 em riachos da Serra do Mar, SP : comparação entre floresta e pastagem

Texto completo
Autor(es):
Fernanda Gaudio Augusto
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Centro de Energia Nuclear na Agricultura
Data de defesa:
Membros da banca:
Plinio Barbosa de Camargo; Susana Trivinho Strixino
Orientador: Plinio Barbosa de Camargo
Resumo

Em riachos de cabeceira florestados, o aporte de material vegetal da zona ripária é de suma importância, pois sua decomposição disponibiliza nutrientes para um sistema de baixa produtividade primária. Mudanças no uso do solo têm forte influência na abundância e composição do material vegetal alóctone disponível para decomposição, alterando fontes e fluxos de nutrientes. Os macroinvertebrados atuam na decomposição como organismos fundamentais na conversão da matéria orgânica grossa em matéria orgânica fina. Neste contexto, este estudo teve como objetivo investigar a colonização e a função dos macroinvertebrados aquáticos na decomposição foliar. Foram selecionados dois riachos na Serra do Mar, SP, sendo um em área de floresta e outro em área de pastagem, onde foram instalados litter bags preenchidos com Mollinedia schottiana, Brachiaria brizantha (gramínea) ou a mistura das espécies. Estes foram dispostos no fundo dos riachos e coletados temporalmente aos 7, 17, 31, 63 e 91 dias após suas instalações. Os invertebrados foram identificados, quantificados e classificados em grupos funcionais e o material vegetal foi seco e determinado seu peso remanescente. Em seguida, foi realizada a análise isotópica dos macroinvertebrados encontrados e das suas possíveis fontes alimentares, sendo calculada também a contribuição dos produtores primários em suas dietas. Os resultados mostram uma decomposição mais rápida da gramínea na área de floresta e da M. schottiana na pastagem. Maiores abundâncias e densidades de macroinvertebrados foram encontradas na pastagem e nas gramíneas, sendo a densidade inversamente proporcional ao peso remanescente. A riqueza foi similar entre os riachos e tratamentos e a diversidade foi superior na área florestal. Chironomidae foram os mais abundantes em ambos os riachos e tratamentos, sendo responsáveis por mais de 50% do total de indivíduos. Trichoptera foram mais abundantes na floresta e nos tratamentos com a M. schottiana. Amphipoda foram encontrados apenas na floresta. Coletores, fragmentadores e predadores, de modo geral, foram os principais grupos tróficos encontrados, sendo os fragmentadores mais representativos nas coletas iniciais, destacando-se principalmente na floresta e nos tratamentos com a M. schottiana. Os valores isotópicos na pastagem se mostraram mais enriquecidos, tanto com relação ao 13C quanto ao 15N. Os valores isotópicos dos macroinvertebrados indicaram baixa contribuição das gramíneas (C4) em sua dieta, podendo destacar a maior influência de M. schottiana (C3) na floresta enquanto que, na pastagem, maior influência de perifiton e M. schottiana (C3). Assim, pode-se reforçar papel da vegetação ripária para os riachos, sendo sua conservação de grande importância na transferência de matéria e energia nesses ecossistemas e outros adjacentes (AU)

Processo FAPESP: 14/03431-5 - A influência dos macroinvertebrados aquáticos na decomposição foliar em riachos de floresta e pastagem na Serra do Mar, SP
Beneficiário:Fernanda Gaudio Augusto
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado