Busca avançada
Ano de início
Entree


Avaliação de microRNAs associados às quinases ROCK em osteossarcoma e seu papel no processo de invasão celular

Texto completo
Autor(es):
Lara Elis Alberici Delsin
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Luiz Gonzaga Tone; Edgard Eduard Engel; Marilia de Arruda Cardoso Smith
Orientador: Luiz Gonzaga Tone
Resumo

Osteossarcoma (OS) é uma neoplasia que acomete principalmente as metáfises de ossos longos, sendo o tumor ósseo pediátrico mais comum. O tratamento consiste em ressecção cirúrgica, tratamento quimioterápico multimodal neo-adjuvante e adjuvante. No entanto, apesar dos tratamentos, cerca de 80% dos pacientes que apresentam metástase tem uma sobrevida curta. Deste modo, torna-se necessário um melhor entendimento do processo metastático, assim como da busca por novos alvos terapêuticos. Uma das principais vias relacionada à invasão e migração das células neoplásicas é a das GTPases Rho, cujas principais moléculas efetoras são as quinases ROCK1 e 2, responsáveis por mediar a migração através do controle do citoesqueleto. Tais quinases têm sido relatadas hiperexpressas em diversas neoplasias e associadas ao pior prognóstico. Recentemente, pesquisas também têm apontado a desregulação de miRNAs na tumorigênese, sendo que a hipoexpressão de alguns microRNAs estão relacionados à hiperexpressão das ROCKs e, portanto, envolvidos no processo metastático. No presente trabalho, estudou-se a expressão tanto das ROCKs quanto de miRNAs associados a elas em amostras tumorais de OS por meio de PCR em tempo real. Encontramos uma hipoexpressão de ROCK1 nas amostras OS quando comparadas ao osso não neoplásico controle, enquanto que ROCK2 não apresentou diferença. O miR-138 foi encontrado hiperexpresso e obteve correlação com ROCK2, além de associação com a sobrevida. Os miR-139 e miR-708 demonstraram-se hipoexpressos nas amostras tumorais. Já os miR-196b e miR-584 não apresentaram diferenças. Após as análises de expressão, optou-se pelo estudo do miR-708 em linhagens de OS, desta forma, sua expressão foi induzida em três linhagens celulares, através de um vetor lentiviral, e foram realizados ensaios funcionais com o objetivo de estabelecer o papel deste miRNA. Não foi observada diferença nas taxas de proliferação ou capacidade clonogênica quando a expressão do miR-708 foi indizida. No ensaio de migração wound healing o miR-708 reduziu a migração da linhagem SAOS-2, enquanto que no ensaio de invasão induziu a invasão da linhagem MG-63 em matrigel, mas reduziu esse potencial nas linhagens HOS e SAOS-2 na matriz de gelatina. Uma análise in silico dos alvos deste miRNA apontou sua associação às vias WNT, MAPK e de Junções Aderentes. Desta forma, sugere-se que o miR-708 pode estar envolvido no controle processos que levam ao desenvolvimento de metástase, principalmente na interação com a matriz extracelular. (AU)

Processo FAPESP: 14/07117-3 - Avaliação de microRNAs associados às quinases ROCK em osteosarcoma e seu papel no processo de invasão celular
Beneficiário:Lara Elis Alberici Delsin
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado