Busca avançada
Ano de início
Entree


Estruturação de metacomunidades de girinos em diferentes fitofisionomias da Mata Atlântica : uma análise em diferentes escalas espaciais

Texto completo
Autor(es):
Rodolfo Mei Pelinson
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Instituição: Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas.
Data de defesa:
Membros da banca:
Paulo de Marco Júnior; Victor Lemes Landeiro
Orientador: Denise de Cerqueira Rossa Feres; Michel Varajão Garey
Resumo

O conceito de metacomunidades incorpora processos que ocorrem em diferentes escalas espaciais. Atualmente esse conceito é tratado empiricamente por meio de duas abordagens: identificar a influência de mecanismos que estruturam as metacomunidades (i.e. fatores ambientais locais e dispersão), e identificar diferentes tipos de estruturas de distribuição de espécies geradas principalmente por interações bióticas (e.g. competição) e/ou filtros ambientais. Aqui nós empregamos essas duas abordagens para avaliar os padrões de estrutura e distribuição de espécies em metacomunidades de girinos na Mata Atlântica em duas extensões espaciais, uma ampla e uma restrita. Nós estudamos duas áreas biogeográficas com diferentes grupos de espécies, uma que compreende parte da Floresta Estacional Semidecidual (FES) e áreas de transição entre FES e Cerrado, e outra localizada em planícies litorâneas e que compreende parte da Floresta Ombrófila Densa (FOD). Em extensão espacial ampla nós observamos principalmente influência das condições climáticas na estrutura das metacomunidades. Na FES, onde o clima é mais seco e sazonal, as espécies possuem distribuições que acompanham a variação ambiental local dos corpos d'água, e principalmente a variação climática espacialmente estruturada. Apesar de o clima variar pouco nessa fitofisionomia, em condições ambientais mais severas, pequenas variações na temperatura e umidade provavelmente são suficientes para filtrar as espécies que conseguem sobreviver. Esse efeito do clima provavelmente é intensificado pela limitação à dispersão decorrente do intenso desmatamento e uso do solo. Já na FOD, o clima úmido e estável teve pouca influência na distribuição das espécies provavelmente porquê essas condições permitem que os anfíbios se dispersem mais com menor risco de dessecação. Assim, a cobertura de... (AU)

Processo FAPESP: 14/07591-7 - Influência da escala espacial e da fitofisionomia na estrutura de metacomunidades de anuros da Mata Atlântica
Beneficiário:Rodolfo Mei Pelinson
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado