Busca avançada
Ano de início
Entree


Integração social e adaptação no diagnóstico do mundo administrado de Max Horkheimer e Theodor Adorno

Texto completo
Autor(es):
Raphael Eduardo Alves Concli
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Data de defesa:
Orientador: Marcos Severino Nobre
Resumo

Os escritos de Max Horkheimer e Theodor Adorno dos anos 1940, representados em especial pela obras Dialética do Esclarecimento e Eclipse da Razão, são largamente conhecidos por sua crítica da razão instrumental e do desenvolvimento da racionalidade ocidental. Ainda que este rótulo não seja de todo impreciso ele pode nos desviar do fato de que este procedimento teórico se encaixa no quadro mais geral de um diagnóstico de tempo presente, o diagnóstico do mundo administrado. Esta dissertação procurar retornar a este diagnóstico no intuito de buscar seu surgimento e como o procedimento de uma crítica da razão e da racionalidade está, na verdade, voltado a compreender a condição de vida dos indivíduos nas sociedades ocidentais de sua época. Entendo que esta problematização é feita através da noção de integração social e daquilo que Horkheimer e Adorno identificam como sua progressiva convergência com a necessidade de adaptação à realidade existente. É a realização desta convergência que está no cerne deste diagnóstico. Para tanto, partirei da tese do capitalismo de Estado do economista Friedrich Pollock para avaliar como Horkheimer a apropriou e foi por ela influenciado na compreensão das transformações do capitalismo de então e do surgimento de novas formas de dominação e integração. Em seguida volto-me aos textos de Horkheimer do final dos anos 1930 e início dos anos 1940 como o momento de transição para uma crítica social sob a forma de crítica da razão. No terceiro capítulo analisarei mais detidamente o diagnóstico do mundo administrado a partir da denúncia que Horkheimer e Adorno apresentam da tendência à integração total, ou seja, a possibilidade que a integração se dê como nada mais do que adaptação. Aqui procurarei compreender como a crítica da razão e da racionalidade realiza esta denúncia ao apontar para a realização contraditória do princípio da autopreservação. Ao final, discutirei como a teoria da indústria cultural também se enquadra neste diagnóstico, sendo mobilizada por Horkheimer e Adorno para explicar como o consumo de bens culturais também participa da lógica adaptativa da realidade social ao promover a conformidade e a aceitação em relação a esta. Tentarei, entretanto, não apenas apreender de que forma isto se dá, mas também recuperar as reflexões de Horkheimer e Adorno sobre como este mesmo processo de consumo transforma a percepção e a forma de comunicação dos indivíduos para avaliar se é possível pensar este fenômeno para além da lógica adaptativa que estes autores se ocupam em trazer à tona (AU)

Processo FAPESP: 14/00964-2 - Adaptação e autoconservação em chave freudiana: um retorno à crítica da razão instrumental de Max Horkheimer e Theodor Adorno
Beneficiário:Raphael Eduardo Alves Concli
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Mestrado