Busca avançada
Ano de início
Entree


Participação das vias intracelulares moduladas pelo monóxido de carbono na regulação do equilíbrio hidroeletrolítico

Texto completo
Autor(es):
Juliana Bezerra Medeiros de Lima
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto
Data de defesa:
Membros da banca:
Jose Antunes Rodrigues; Eduardo Colombari; Rita de Cassia Aleixo Tostes Passaglia; Luis Carlos Reis
Orientador: Jose Antunes Rodrigues
Resumo

O monóxido de carbono (CO) tem um importante papel na fisiologia animal incluindo plasticidade sináptica, processos de memória e aprendizagem, inflamação e liberação de neuropeptídios hipotalâmicos. Recentemente tem sido demonstrado que a liberação de vasopressina (AVP) e ocitocina (OT) em resposta a alterações no balanço hidromineral pode ser modulada por esse neuromodulador gasoso, contudo, os mecanismos pelos quais essa modulação ocorre ainda não foram elucidados. Nesse sentido, nós mapeamos possíveis alvos intracelulares do CO pelos quais esse gás poderia afetar as respostas neuroendócrinas tais como as propriedades passivas de membrana de neurônios magnocelulares do núcleo supraóptico (SON), via de sinalização da p38 MAPK, sistema óxido nítrico (NO)/óxido nítrico sintase (NOS), participação de astrócitos hipotalâmicos e a resposta antioxidante à diferentes condições de hidratação: euhidratação, 24 e 48 horas de privação hídrica. Nós observamos que a inibição da formação central de CO reduziu o aumento das concentrações plasmáticas de AVP e OT induzido pela privação hídrica, bem como inibiu a atividade NOS nos grupos hidratado e desidratado por 48 horas (PH 48); enquanto a razãoe p-p38 MAPK/p38 MAPK ratio foi aumentada pela doação central de CO em todas as condições de hidratação analisadas. Além do mais, nós demonstramos a expressão de HO-1, p38 MAPK e p-p38 MAPK em astrócitos hipotalâmicos. Em relação à resposta antioxidade, observamos que camundongos silenciados para Nrf2 no SON tem a resposta à desidratação prejudicada. Esses dados indicam o papel do CO como uma molécula neuromodulatória nas respostas neuroendócrinas à desidratação onde pode exercer sua função via resposta antioxidante em tempo mais curto de restrição hídrica e via sistema do NO em tempo mais prolongado (AU)

Processo FAPESP: 14/10060-3 - Participação das vias intracelulares moduladas pelo monóxido de carbono na regulação do equilíbrio hidroeletrolítico
Beneficiário:Juliana Bezerra Medeiros de Lima
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado