Busca avançada
Ano de início
Entree


Eficácia clareadora, citotoxicidade trans-amelodentinária e cinética de degradação de géis clareadores contendo óxido de manganês

Texto completo
Autor(es):
Rafael Antonio de Oliveira Ribeiro
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Araraquara. 2020-08-04.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Odontologia. Araraquara
Data de defesa:
Orientador: Carlos Alberto de Souza Costa
Resumo

Objetivo: Avaliar a eficácia clareadora, citotoxicidade e cinética de degradação de géis clareadores contendo 10% e 35% de H2O2 ativados quimicamente com óxido de manganês (MnO). Métodos: Discos de esmalte e dentina foram manchados e então submetidos ao clareamento com os géis associados a um espessante experimental contendo ou não MnO. Como controle positivo, um gel com 35% de H2O2 foi aplicado por 45 minutos sobre o esmalte, sendo que no controle negativo nenhum tratamento foi realizado. Para determinar a melhor concentração de MnO quanto a eficácia clareadora dos géis (espectrofotômetro de reflexão-UV, sistema CIE L*a*b*), discos manchados foram clareados com géis contendo 2 mg/mL, 6 mg/mL ou 10 mg/mL do catalisador. Para análise de viabilidade celular (MTT e MEV) e estresse oxidativo, o clareamento foi realizado sobre discos manchados adaptados em câmaras pulpares artificiais, sendo os extratos (meio de cultura em contato com a dentina + componentes dos géis que se difundiram pelos discos) coletados e aplicados por 1 h sobre células MDPC-23. A quantificação de H2O2 difundido pelos discos também foi determinada (violeta leuco-cristal/peroxidase). A melhor concentração do catalisador foi utilizada para as análises de cinética de degradação. Os dados numéricos obtidos foram submetidos à análise estatística específica (ANOVA; Tukey). Resultados: Aumento da eficácia clareadora com a adição de MnO foi observado para ambas as concentrações de H2O2 nos géis. A adição do catalisador nos géis reduziu a difusão trans-amelodentinária de H2O2 residual, o estresse oxidativo e consequentemente os efeitos tóxicos dos tratamentos, independente da concentração de H2O2 presente nos produtos. Esses efeitos positivos foram mais evidentes com a incorporação de 10mg/mL de MnO aos géis clareadores, o que também aumentou significativamente a produção de radicais livres e radicais hidroxila (cinética de degradação). Conclusão: Foi possível concluir que a adição do catalisador MnO em géis clareadores com 10% e 35% de H2O2 favorece a produção de radicais livres e radical hidroxila, aumenta a eficácia clareadora dos produtos, bem como diminui o estresse oxidativo e toxicidade trans-amelodentinária sobre células pulpares. (AU)

Processo FAPESP: 18/14457-6 - Citotoxicidade trans-amelodentinária, eficácia clareadora e cinética de degradação de géis clareadores contendo óxidos metálicos à base de manganês
Beneficiário:Rafael Antonio de Oliveira Ribeiro
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Mestrado