Busca avançada
Ano de início
Entree


Evolução das espécies do gênero sporothrix baseado nas sequências dos inteins vma e prp8

Texto completo
Autor(es):
Alana Lucena Oliveira
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Botucatu. 2021-02-02.
Instituição: Universidade Estadual Paulista (Unesp). Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia. Botucatu
Data de defesa:
Orientador: Sandra de Moraes Gimenes Bosco; Hans Garcia Garces
Resumo

A esporotricose é uma micose causada principalmente pelas espécies do clado patogênico do gênero Sporothrix. Estas espécies compreendem S. schenckii, S. brasiliensis, S. globosa e S. luriei. S. schenckii tem uma ampla distribuição mundial enquanto S. globosa é uma sapronose comum na Ásia e S. luriei é uma espécie bem restrita e com pouquíssimos relatos. A esporotricose causada por S. brasiliensis é uma zoonose que afeta principalmente os gatos, cuja incidência aumentou no Brasil na última década, sendo considerada uma das micoses emergentes mais importantes na atualidade. Visando a eliminação de surtos, junto a campanhas de prevenção e medidas de vigilância, é muito importante contar com métodos diagnósticos de baixo custo, rápidos e precisos compreendendo as corretas espécies envolvidas. Foi realizada a padronização e diferenciação das espécies do clado patogênico do gênero Sporothrix por meio de biologia molecular utilizando regiões gênicas específicas dos inteins VMA e PRP8 que ainda não foram estudas para essas espécies. A região dos inteins VMA e PRP8 já foram utilizadas com finalidades de diagnóstico e estudos filogenéticos em outros fungos, sendo, portanto, uma região promissora para esses estudos no gênero Sporothrix Inteins são sequencias de proteínas presentes em alguns organismos que têm a capacidade de realizar um processo de auto-splicing logo após a tradução da sua proteína hospedeira. Sendo comprovada a existência dos dois inteins (VMA e PRP8) na maioria das espécies do clado patogênico de Sporothrix spp., o objetivo foi caracterizar os inteins PRP8 e VMA visando inferências diagnósticas e evolutivas, incluindo amostras de DNA a partir de isolados em cultivo . Até então, analisamos 22 cepas de isolados clínicos (5 S. globosa, 5 S. schenckii, 12 S. brasiliensis) pelo sequenciamento das regiões dos inteins com primers por nós desenhados e analisamos por bioinformática uma cepa de S. luriei. O intein PRP8 foi encontrado em todas as espécies enquanto o VMA foi ausente em S. globosa e S. luriei. Os inteins sempre foram encontrados na forma de Full-length intein. As análises filogenéticas permitiram a diferenciação das espécies de S. schenckii próximo a S. brasiliensis e S. globosa mais próxima de S. luriei ao analisar as sequencias do intein PRP8. Igualmente, o intein VMA evidenciou um agrupamento separado das espécies S. schenckii e S. brasiliensis. A presença ou ausência e análise do polimorfismo encontrado no intein VMA permitiu desenhar um par de primers adicional para diferenciar as espécies S. schenckii, S. brasiliensis e S. globosa por meio de PCR/eletroforese, sem necessidade de sequenciamento de DNA. (AU)

Processo FAPESP: 19/03489-7 - Esporotricose na região de Botucatu, SP: estudo retrospectivo e identificação molecular do agente etiológico
Beneficiário:Alana Lucena Oliveira
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Mestrado