Busca avançada
Ano de início
Entree


Saberes em viagem nos manuais pedagógicos: construções da escola em Portugal e no Brasil (1870-1970)

Texto completo
Autor(es):
Vivian Batista da Silva
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: São Paulo.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Educação
Data de defesa:
Membros da banca:
Denice Barbara Catani; Raquel Lazzari Leite Barbosa; Decio Gatti Junior; António Manuel Seixas Sampaio da Nóvoa; Cynthia Pereira de Sousa
Orientador: Denice Barbara Catani
Resumo

Nesta tese de doutorado foram tomados como objeto de análise os livros usados pelos normalistas quando eles estudaram as questões relativas ao ofício de ensinar. Chamados aqui de manuais pedagógicos, esses textos começaram a ser publicados em períodos muito próximos em Portugal e no Brasil. A primeira edição encontrada datou de 1870 e outras foram sendo produzidas durante um século, aproximadamente, quando os livros passaram por transformações significativas em seu conteúdo e materialidade. Nesse período, eles apresentaram uma síntese do que se considerou ser o melhor da bibliografia usada pelos educadores. Isso porque seu intuito foi iniciar os estudantes no trabalho docente, reunindo, de forma fácil e acessível à leitura realizada pelos futuros professores, as referências nucleares para realizar tal atividade. Assim organizados, esses conhecimentos fundamentaram os modos pelos quais a escola foi concebida, pois explicaram as características dos vários elementos de sua cultura, compreendendo não só o papel do professor, como também a estrutura organizacional da escola, as tarefas do aluno e os métodos para conduzir a aula. Esses aspectos formaram uma espécie de gramática do ensino, difundida nas mais diversas partes do mundo e que não foi pensada como a modalidade mais apropriada, mas sim como a única forma imaginável de escolarização. Uma expansão como essa articulou-se à circulação intra e internacional de conhecimentos produzidos em diversos espaços, épocas e áreas de saber, os quais foram usados pelos profissionais da educação para construírem as suas proposições sobre o ensino. As lógicas desse processo de produção e apropriação de idéias foram examinadas aqui a partir da metáfora da viagem feita pelas referências usadas em diferentes lugares e momentos. Em outras palavras, isso assinalou que os conhecimentos viajaram através dos manuais pedagógicos, quando eles citaram idéias de outros autores, encontradas em outras obras, feitas em vários países do globo. Por isso, a tese examinou e comparou as referências mencionadas nas produções portuguesas e brasileiras, com o objetivo de conhecer quais informações foram selecionadas e como as mesmas foram articuladas ao se construírem as representações sobre a escola. Assim, a história dos manuais pedagógicos elaborada na presente tese atentou para os modos pelos quais eles produziram saberes e colaboraram para difundir o modelo de escolarização entre os professores. (AU)

Processo FAPESP: 02/08953-2 - Leituras para professores no espaço lusófono: processos de produção e circulação dos manuais pedagógicos no Brasil e em Portugal (1870-1971)
Beneficiário:Vivian Batista da Silva
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado