Busca avançada
Ano de início
Entree


Eficiência de uso de nitrogênio e enxofre pela cana-de-açúcar (primeira e segunda rebrota) em sistema conservacionista (sem queima)

Texto completo
Autor(es):
Raul Henrique Sartori
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Centro de Energia Nuclear na Agricultura
Data de defesa:
Membros da banca:
Paulo Cesar Ocheuze Trivelin; Edgar Gomes Ferreira de Beauclair; Heitor Cantarella; Carlos Eduardo Faroni; Jorge de Castro Kiehl
Orientador: Paulo Cesar Ocheuze Trivelin
Resumo

O trabalho teve por objetivos avaliar as respostas de uma primeira soqueira de canade- açúcar à fertilização com nitrogênio e enxofre, relacionadas com dose de N aplicada no plantio da cultura, e o efeito dessas combinações de N e S na produtividade da soqueira subsequente (efeito residual); avaliar o uso e a redistribuição do N e S em primeira e segunda soca, utilizando-se os isótopos estáveis 15N e 34S. O experimento foi instalado em campo, em área comercial, com o cultivar SP81 3250, em LATOSSOLO VERMELHO Distrófico típico (LVd) de textura média. O delineamento experimental no ciclo agrícola de cana-planta foi de blocos casualizados, com quatro repetições, tendo sido estabelecido os seguintes tratamentos: testemunha (sem adubação nitrogenada) e a dose de N de 80 kg ha-1 com a fonte uréia (U). Na primeira soqueira, as parcelas da cana-planta foram subdivididas em quatro subparcelas, que receberam cada uma as doses de sulfato de amônio (SA): 236, 471 e 707 kg ha-1, além da testemunha sem aplicação de SA. As doses de SA correspondem a 50, 100 e 150 kg ha-1 de N e 57, 114 e 171 kg ha-1 de S respectivamente. No ciclo de primeira soca, nos tratamentos com 236 e 471 kg ha-1 de SA, foram instaladas microparcelas com aplicação de sulfato de amônio enriquecido em 2,96 e 2,15% átomos de 15N e 8,0 e 10,5% átomos de 34S respectivamente. Nessas microparcelas foi estimada a contribuição do N e S do fertilizante no acúmulo total de N e S pela cana-de-açúcar ao longo do ciclo de primeira soca. A colheita da primeira soca deu-se 12 meses após o corte da canaplanta. No ciclo agrícola de segunda soca (SC) foi mantida a adubação nitrogenada com a aplicação de nitrato de amônio nas doses de 50, 100 e 150 kg ha-1 de N, nos tratamentos correspondentes às doses de N, permanecendo a testemunha sem fertilização com N, sendo conservadas as microparcelas, nas quais também foi estimada a contribuição do N- e do S-fertilizante no acúmulo total de N e S pela cana-de-açúcar, ao final desse ciclo. Para a primeira soca foram avaliadas: a produtividade de colmos por hectare (TCH), os atributos tecnológicos, a fitomassa da parte aérea, a utilização do 15N/34S do SA e o efeito dos tratamentos de cana-planta na utilização de nitrogênio e enxofre pela primeira soca. No terceiro corte (segunda soca) foram avaliadas: a produtividade de colmos por hectare (TCH), os atributos tecnológicos e o efeito residual do 15N/34S do SA. As maiores porcentagem de N e S provenientes do SA foram verificadas nos estádios iniciais de crescimento da cultura, com decréscimos na colheita. A fertilização nitrogenada de plantio proporcionou aumento na produção de colmos da primeira soca. A recuperação (kg ha-1) do N e S do fertilizante aumentou com a dose de SA, porém a eficiência de utilização foi a mesma. O aproveitamento avaliado na parte aérea da cana-de-açúcar foi de 37 kg ha-1 (50%) para N-fertilizante e 2,6 kg ha-1 (3%) para o S-fertilizante. Do N e S fertilizante aplicado na primeira soca a segunda soca aproveitou em média 3,8 kg ha-1 (5%) e 1,2 kg ha-1 (1,4%) respectivamente (AU)

Processo FAPESP: 07/04670-0 - Eficiência de Uso de Nitrogênio e enxofre pela cana de açúcar (cana soca e ressoca) em sistema conservacionsita (sem queima)
Beneficiário:Raul Henrique Sartori
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado