Busca avançada
Ano de início
Entree
(Referência obtida automaticamente do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores.)

Estudo cariotípico de duas espécies brasileiras do gênero Micrurus (Ophidia: Elapidae)

Texto completo
Autor(es):
Serafim, Herbert ; Peccinini-Seale, Denise Maria [2] ; Batistic, Radenka Francisca
Número total de Autores: 3
Tipo de documento: Artigo Científico
Fonte: Biota Neotropica; v. 7, n. 1, p. 75-80, 2007.
Área do conhecimento: Ciências Biológicas - Genética
Assunto(s):Citogenética   Répteis   Serpentes   Elapidae   Cariotipagem   América do Sul   América Central
Resumo

Descrevemos neste trabalho o cariótipo de duas espécies de cobra coral (Ophidia: Elapidae) do Brasil: Micrurus corallinus e M. ibiboboca. Preparações citológicas foram obtidas através da técnica de esmagamento, seguida de coloração convencional com Giemsa. Encontramos para M. corallinus, um número diplóide (2n) de 40 cromossomos, com fórmula cariotípica 40 (4; 16; 20) e constricção secundária no segundo par de macrocromossomos subtelocêntricos. Micrurus ibiboboca apresentou 2n = 42, com fórmula cariotípica 42 (2; 20; 20) e constricção secundária no primeiro par de macrocromossomos telocêntricos. As primeiras descrições dos cariótipos das espécies M. corallinus e M. ibiboboca, apresentadas neste trabalho, mostram aspectos semelhantes aos cariótipos de M. lemniscatus e M. surinamensis, únicas espécies deste gênero da América do Sul analisadas cromossomicamente. As quatro espécies em questão apresentam o mesmo número de microcromossomos (20), os maiores valores de macrocromossomos telocêntricos ou subtelocêntricos e os maiores números diplóides (2n) já encontrados no gênero Micrurus. Tais características diferenciam estas espécies da América do Sul das nove da América Central com cariótipos já estudados. (AU)

Processo FAPESP: 99/08291-5 - Diversidade e conservação da fauna réptil na Mata Atlântica do Sudeste
Beneficiário:Denise Maria Peccinini Seale
Linha de fomento: Auxílio à Pesquisa - Programa BIOTA - Regular