Busca avançada
Ano de início
Entree

Perfis químicos e toxicológicos de fontes de matéria particulada em atmosfera urbana

Processo: 18/07848-9
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de setembro de 2018 - 31 de agosto de 2021
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Geociências - Meteorologia
Convênio/Acordo: Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT)
Pesquisador responsável:Maria de Fátima Andrade
Beneficiário:Maria de Fátima Andrade
Pesq. responsável no exterior: Célia Dos Anjos Alves
Instituição no exterior: Universidade de Aveiro (UA), Portugal
Instituição-sede: Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas (IAG). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Pesq. associados:Danilo Custódio Jorge ; Edmilson Dias de Freitas ; Pérola de Castro Vasconcellos ; Regina Maura de Miranda ; Thiago Nogueira
Bolsa(s) vinculada(s):19/01316-8 - URBESP: níveis, composição e identificação de fontes de MP10 e MP2.5 em São Paulo, BP.PD
18/20840-7 - Determinação de perfis de emissão veicular em São Paulo, BP.TT
18/18065-5 - Avaliação da composição do material particulado na cidade de São Paulo e análise do risco associado à sua exposição, BP.TT
Assunto(s):Química atmosférica 

Resumo

O ar é um recurso natural integrante dos serviços ecossistémicos. Estimativas recentes revelam nºs chocantes sobre o contributo da poluição do ar, e sobretudo das partículas inferiores a 10 e 2,5 um (PM10 or PM2,5), para as doenças cardiorespiratórias e mortes prematuras. A poluição do ar e as alterações climáticas estão também estreitamente relacionadas. Embora os avanços tecnológicos tenham permitido reduzir as emissões de exaustão dos veículos, as emissões de não exaustão (ressuspensão de poeiras das vias e desgaste de pneus, travões e pavimentos), juntamente com as emissões dos cozinhados, emergiram como fontes de poluição dominantes, mas desprezadas, nas atmosferas urbanas, colocando óbvios desafios científicos e políticos. O SOPRO visa: i) compreender cientificamente as peculiaridades das áreas urbanas portuguesas e brasileiras que levam a frequentes ultrapassagens aos valores limite de PM2,5/PM10, ii) determinar rigorosamente a contribuição das fontes e identificar as responsáveis pelas excedências, e iii) propor estratégias de mitigação focadas nas principais fontes emissoras. O SOPRO responde ao apelo de avaliação integrada lançado pela Estratégia Nacional para o Ar (ENAR2020), enquadrando-se em 3 áreas prioritárias RIS3 e em 4 desafios societais relacionados com Ação Climática, Saúde e Bem-estar e Transportes. Dada a necessidade de caracterização das emissões de partículas pelo tráfego, será seguida uma estratégia concertada para obter perfis de exaustão e não exaustão: i) partículas do desgaste de diferentes pavimentos e pneus geradas num simulador rodoviário; ii) emissões de exaustão em dinamómetro de diversas categorias de veículos representativas das frotas brasileira e europeia; iii) medições em túneis rodoviários; iv) amostras de ressuspensão de poeiras das rodovias. Serão também obtidas amostras de exaustão de restaurantes representativos de vários estilos da culinária latina. Para obter perfis químicos de emissão das várias fontes, um vasto leque de técnicas analíticas de ponta será aplicado às amostras. O rastreio toxicológico das partículas e a relação com as características físico-químicas representará outro aspeto inovador. Serão aplicados modelos químicos de transporte para prever poluentes primários e secundários em São Paulo e regiões selecionadas em Portugal, incorporando os novos perfis de emissão e inventários atualizados e considerando diferentes cenários de emissão, alterações climáticas e políticas de controlo. O SOPRO é uma iniciativa conjunta da UAVR/CESAM e USP, ambas com ampla experiência nas ciências atmosféricas, tendo recebido o apoio de vários centros de reconhecida excelência: ARPA-Lombardia e Universidade de Florença (Itália), IDAEA e CIEMAT (Espanha), VTI (Suécia), KIT (Alemanha) e UERJ (Brasil). Beneficiará, assim, de recursos analíticos complementares, gerando um projeto transcontinental e multidisciplinar com cientistas atmosféricos, engenheiros de transportes, químicos, toxicologistas e modeladores. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Pós-doutorado em Química Atmosférica com Bolsa da FAPESP 

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
NOGUEIRA, THIAGO; DOMINUTTI, PAMELA A.; VIEIRA-FILHO, MARCELO; FORNARO, ADALGIZA; ANDRADE, MARIA DE FATIMA. Evaluating Atmospheric Pollutants from Urban Buses under Real-World Conditions: Implications of the Main Public Transport Mode in Sao Paulo, Brazil. ATMOSPHERE, v. 10, n. 3 MAR 1 2019. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.
Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.