Busca avançada
Ano de início
Entree

Modulação do perfil proteolítico em pacientes com lesões intraepiteliais de alto grau do colo uterino e em linhagem celular de carcinoma de colo de útero

Resumo

O carcinoma de colo do útero se configura como um problema de saúde pública devido a sua elevada incidência e mortalidade no Brasil e no mundo. Estes carcinomas são causados pela integração dos oncogenes do Papilomavírus Humano (HPV) ao DNA de células epiteliais do colo do útero que induz a transformação gradual, de mucosa normal em carcinoma. Dentre vários outros fatores que contribuem para a evolução para carcinoma invasor, pode-se citar a deficiência do sistema imunológico e a desregulação na expressão e produção de proteases. Proteases são enzimas responsáveis pela degradação de proteínas, contribuindo assim para a invasão tumoral, etapa fundamental na ocorrência de metástases. Há atualmente comprovação de exemplos de proteases desreguladas no carcinoma de colo do útero, como por exemplo a matriptase, uma importante serino protease transmembrana traduzida do gene ST14 que atua clivando pró-HGF em HGF, assim desencadeando carcinogênese através da via PI3K-Akt-mTOR. Este trabalho tem por objetivo principal analisar a modulação no perfil proteolítico de pacientes portadoras de lesões intraepiteliais de alto grau de colo do útero; bem como em linhagem celular de carcinoma de colo de útero (HeLa), cujos oncogenes virais foram nocauteados com a utilização da técnica de edição gênica CRISPR/Cas9. Os resultados obtidos possibilitarão associar a modulação do perfil proteolítico à transformação celular causada pelo HPV, e sua relação com o prognóstico destas lesões. (AU)

Matéria(s) publicada(s) na Agência FAPESP sobre o auxílio:
Matéria(s) publicada(s) em Outras Mídias (0 total):
Mais itensMenos itens
VEICULO: TITULO (DATA)
VEICULO: TITULO (DATA)