Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da obesidade na regulação da AMPK em amígdala: implicações no metabolismo energético

Processo: 15/00343-0
Linha de fomento:Auxílio à Pesquisa - Regular
Vigência: 01 de junho de 2015 - 30 de novembro de 2017
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina - Clínica Médica
Pesquisador responsável:Patrícia de Oliveira Prada
Beneficiário:Patrícia de Oliveira Prada
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Aplicadas (FCA). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Limeira , SP, Brasil
Assunto(s):Endocrinologia  Peso corporal  Obesidade  Metabolismo energético  Tonsila do cerebelo  Neuropeptídeos  Proteínas quinases ativadas por AMP 

Resumo

A obesidade é hoje um dos mais importantes problemas de saúde pública no mundo, sendo o mais importante fator de risco para o desenvolvimento de várias comorbidades. O peso corpóreo é mantido por meio de um equilíbrio entre ingestão alimentar e gasto energético. O aumento da atividade da AMP-activated protein kinase (AMPK) em núcleos hipotalâmicos está associado ao aumento da ingestão alimentar. Nos últimos anos, outras áreas do sistema nervoso central como o sistema dopaminérgico de recompensa têm sido investigadas por contribuírem com a regulação do metabolismo energético. Dentre estas áreas, a amígdala se destaca por ser responsiva à nutrientes e hormônios como insulina e grelina. Entretanto, não há estudos demonstrando a expressão e regulação da atividade da AMPK nessa região, bem como sua participação no controle do metabolismo energético. Neste sentido, em animais controles, propomos (1) investigar a expressão e regulação da fosforilação em Thr172 e da atividade da AMPK em amígdala in vivo em resposta a nutrientes (glicose), a neuroglicopenia (induzida por 2-DG), a realimentação após jejum prolongado e a hormônios (insulina e grelina). (2) Investigar se a AMPK participa do controle do metabolismo energético decorrente da ativação ou inativação do sistema melanocortina em amígdala in vivo. Em outro objetivo, (3) investigar se o bloqueio (STO-609-inibidor de CaMKK e Compound C) e a ativação (ARA) farmacológicos da AMPK por 7 dias alteram a ingestão alimentar, peso corpóreo, adiposidade, gasto energético e expressão de neuropeptídeos. Complementarmente e para aumentar a especificidade, (4) investigar se a inibição crônica da expressão com siRNA ou a expressão constitutiva ativa da AMPK por adenovírus na amígdala altera a ingestão alimentar, peso corpóreo, adiposidade, gasto energético e expressão de neuropeptídeos. Após a caracterização dos animais controles, (5) investigar a expressão e regulação da AMPK na região CeA da amígdala de animais submetidos à dieta hiperlipídica cronicamente e de ratos Zucker com obesidade genética. Se a AMPK estiver mais ativada em amígdala destes animais, (6) investigar se a inibição da expressão da AMPK nesta região pode alterar parâmetros como peso corpóreo, massa adiposa, ingestão alimentar, gasto energético, tolerância à glicose, sensibilidade à insulina, medida pelo clamp euglicêmico hiperinsulinêmico, e produção hepática de glicose. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
MENDES, NATALIA FERREIRA; CASTRO, GISELE; GUADAGNINI, DIOZE; TOBAR, NATALIA; COGNUCK, SUSANA QUIROS; KAGOHARA ELIAS, LUCILA LEICO; BOER, PATRICIA ALINE; PRADA, PATRICIA OLIVEIRA. Knocking down amygdalar PTP1B in diet-induced obese rats improves insulin signaling/action, decreases adiposity and may alter anxiety behavior. METABOLISM-CLINICAL AND EXPERIMENTAL, v. 70, p. 1-11, MAY 2017. Citações Web of Science: 7.
QUARESMA, P. G. F.; WEISSMANN, L.; ZANOTTO, T. M.; SANTOS, A. C.; DE MATOS, A. H. B.; FURIGO, I. C.; SIMABUCO, F. M.; DONATO, JR., J.; BITTENCOURT, J. C.; LOPES-CENDES, I.; PRADA, P. O. Cdc2-like kinase 2 in the hypothalamus is necessary to maintain energy homeostasis. International Journal of Obesity, v. 41, n. 2, p. 268-278, FEB 2017. Citações Web of Science: 4.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.