Busca avançada
Ano de início
Entree

Detecção precoce de riscos para Transtornos do Espectro de Autismo com Indicadores Clínicos de Risco para o desenvolvimento infantil e intervenção precoce: capacitação de enfermeiros para o trabalho em Unidades Básicas de Saúde

Processo: 12/01210-6
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2012
Vigência (Término): 28 de fevereiro de 2013
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Convênio/Acordo: Fundação Maria Cecília Souto Vidigal
Pesquisador responsável:Rogerio Lerner
Beneficiário:Andrea Bianchini Tocchio
Instituição-sede: Instituto de Psicologia (IP). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:11/51013-0 - Detecção precoce de riscos para transtornos do espectro de autismo com indicadores clínicos de risco para o desenvolvimento infantil e intervenção precoce: capacitação de enfermeiros para o trabalho em unidades básicas de saúde , AP.R
Assunto(s):Educação continuada   Desenvolvimento infantil   Saúde da criança   Transtorno autístico   Profissionais de enfermagem   Educação em enfermagem

Resumo

O protocolo IRDI (Indicadores Clínicos de Risco para o Desenvolvimento Infantil) foi desenvolvido e validado entre 1999 e 2008 - projeto temático da FAPESP (no. 03/09687-7) - e é composto de 31 indicadores que possibilitam acompanhar o desenvolvimento infantil de bebês de 0 a 18 meses. A princípio, sua aplicação foi realizada por pediatras e atualmente, está em curso uma formação para ser utilizado por profissionais de enfermagem e agentes comunitários de saúde (ACS) para detecção de problemas de desenvolvimento em bebês. Participam da formação cerca de 150 profissionais de 14 unidades da atenção básica à saúde do município de Embu das Artes e um Centro Assistencial à Saúde de São Paulo. Uma equipe de pesquisadores do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo conduziu ao longo do ano de 2011 quatro encontros formativos, relativos às faixas etárias abordadas pelo protocolo IRDI (0-4; 4-8; 8-12 e 12-18 meses do bebê), seguidos de acompanhamentos semanais de monitoria desses profissionais de saúde em seus próprios locais de trabalho. A monitoria tem se configurado uma importante estratégia de formação desses profissionais para a promoção de saúde da criança. Ao longo do ano de 2012, pretendemos dar continuidade a esse processo de acompanhamento in loco dos profissionais formados iniciado em 2011 com visitas regulares da bolsista às Unidades Básicas de Saúde. (AU)

Mapa da distribuição dos acessos desta página
Para ver o sumário de acessos desta página, clique aqui.