Busca avançada
Ano de início
Entree

Métodos de identificação de vórtices de meso-escala a partir de dados altimétricos

Processo: 13/02355-0
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Mestrado
Vigência (Início): 01 de abril de 2013
Vigência (Término): 31 de julho de 2013
Área do conhecimento:Ciências Exatas e da Terra - Oceanografia - Oceanografia Física
Pesquisador responsável:Olga Tiemi Sato
Beneficiário:Ana Beatriz de Figueiredo Melo Villas Boas
Supervisor no Exterior: Alexis Chaigneau
Instituição-sede: Instituto Oceanográfico (IO). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Local de pesquisa : Laboratoire d’Etudes en Géophysique et Océanographie Spatiales (LEGOS), França  
Vinculado à bolsa:12/21243-6 - A contribuição dos vórtices de meso-escala no balanço de calor pela superfície no Atlântico Sul, BP.MS
Assunto(s):Vórtices   Salinidade do mar

Resumo

Vórtices de meso-escala são estruturas quasi-circulares que apresentam escalas horizontais típicas de 10-100 Km, extensão vertical entre 100-1000 m e escalas temporais que variam entre semanas e meses. Por causa da capacidade de transportar propriedades ao longo de suas trajetórias, os vórtices desempenham um papel determinante na dinâmica e balanço de calor e sal nos oceanos. Desde o lançamento dos satélites altimétricos ERS, TOPEX/Poseidon, Jason e Envisat tornou-se possível estudar fenômenos de meso-escala a partir de dados de anomalia da altura da superfície do mar de forma precisa. Diversos métodos para identificar vórtices de meso-escala nos oceanos a partir de dados altimétricos vem sendo desenvolvidos na última década e a maior parte deles baseia-se ou em propriedades dinâmicas ou em propriedades geométricas dos vórtices. Dentre os métodos existentes, dois são mais comumente utilizados: O método de Okubo-Weiss (OW) identifica os vórtices como regiões onde a vorticidade domina a deformação no fluxo e o método do winding-angle (WA) considera que os vórtices estão associados com linhas de corrente fechadas. Esse projeto tem como objetivo revisar ambos os algoritmos (OW e WA) e aplicar tais métodos nos dados de altura da superfície do mar a fim de identificar vórtices de meso-escala na bacia do Atlântico Sul. Baseando-se nos métodos citados iremos determinar as principais características dos vórtices na área de estudo e então, combinando dados de altimetria com dados de fluxo de calor, almejamos estimar o papel dos vórtices de meso-escala para a variabilidade no balanço de calor pela superfície na região de estudo. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
VILLAS BOAS, A. B.; SATO, O. T.; CHAIGNEAU, A.; CASTELAO, G. P. The signature of mesoscale eddies on the air-sea turbulent heat fluxes in the South Atlantic Ocean. Geophysical Research Letters, v. 42, n. 6, p. 1856-1862, MAR 28 2015. Citações Web of Science: 26.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.