Busca avançada
Ano de início
Entree

Interação entre a via Wnt canônica com os genes PRKAR1A e Pde8B no desenvolvimento e/ou progressão de tumor adrenocortical usando um modelo camundongo transgênico

Processo: 13/05337-3
Linha de fomento:Bolsas no Exterior - Estágio de Pesquisa - Doutorado
Vigência (Início): 01 de setembro de 2013
Vigência (Término): 31 de agosto de 2014
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Medicina
Pesquisador responsável:Sonir Roberto Rauber Antonini
Beneficiário:Letícia Ferro Leal
Supervisor no Exterior: Constantine A. Stratakis
Instituição-sede: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Local de pesquisa : National Institutes of Health, Bethesda (NIH), Estados Unidos  
Vinculado à bolsa:11/10512-3 - Avaliação da via Wnt/{beta}-catenina em tumores adrenocorticais da criança, BP.DR
Assunto(s):Transformação celular neoplásica

Resumo

Introdução: A tumorigênese adrenal parece resultar de uma combinação de dois ou mais eventos genéticos, mas pouco é conhecido sobre este complexo crosstalk. Mutações no gene da ²-catenina e outras anormalidades na via WNT são frequentemente encontradas em tumores adrenais. Doença adrenocortical nodular pigmentada primária (PPNAD), uma forma rara de hiperplasia adrenocortical micronodular bilateral, tem sido associada com mutações inativadoras do gene PRKAR1A. Haploinsuficiência do gene Prkar1a somente não parece ser suficiente para promover a formação do tumor, mas predispõe à formação do tumor em um espectro de tecidos endócrinos e não endócrinos que são responsivos ao AMP cíclico. Perfil de transcriptoma de tumores provenientes de modelos camundongos com haploinsuficiência de Prkar1a identificou a via Wnt como a principal via ativada por sinalização anormal de AMP cíclico. Mutações no gene PDE8B, codificador das fosfodiesterases (PDEs) tem sido encontradas em pacientes com hiperplasias e tumores adrenais, no entanto, permanece obscuro se estas alterações poderiam ser a causa para esta doença. Juntos, estes dados sugerem a importância de PRKAR1A, PDE8B e da via WNT na tumorigênese adrenal. No entanto, até o momento, é desconhecido se anormalidades nestas vias sinergizam para iniciar e/ou diminuir a progressão do tumor adrenal.Objetivo: Avaliar a possível indução da via Wnt canônica por Prkar1a ou PDE8B ou ambos no desenvolvimento e/ou progressão do tumor adrenocortical.Métodos: Uma cepa de camundongos mutantes duplos será obtida pelo cruzamento dos camundongos com mutação da ²-catenina (camundongo ”Cat) com o nocaute do gene Pde8b (Pde8b-/-); os dados serão comparados com o camundongo Prkar1a-loxP/loxP/Cre+ AdKO que está sendo criado pelos colaboradores do Dr. Stratakis. O genótipo será confirmado por PCR e sequenciamento. O desenvolvimento de tumores adrenais e outros tumores não adrenais serão analisados longitudinalmente. Níveis plasmáticos de ACTH e corticosterona serão avaliados por RIA. Atividade de PKA e a expressão dos principais genes envolvidos nas vias Wnt, Prkar1a e cAMP/Pde serão analisados por qPCR, Western blotting e imunomarcação em tecidos adrenais. Perspectivas: Este trabalho poderá contribuir para explicar alguns mecanismos envolvidos no desenvolvimento e progressão de tumores e se Pde8b danificado e/ou haploinsuficiência de Prkar1a podem aumentar a tumorigênese adrenal impulsionada por ²-catenina. (AU)