Busca avançada
Ano de início
Entree

Avaliação da contaminação de chás por contaminantes inorgânicos e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos

Processo: 14/05648-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de maio de 2014
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2015
Área do conhecimento:Ciências Agrárias - Ciência e Tecnologia de Alimentos - Ciência de Alimentos
Pesquisador responsável:Marcelo Antonio Morgano
Beneficiário:Esther Lima de Paiva
Instituição-sede: Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL). Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA). Secretaria de Agricultura e Abastecimento (São Paulo - Estado). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:12/19142-7 - Avaliação da contaminação de chás por contaminantes inorgânicos e hidrocarbonetos policíclicos aromáticos, AP.R
Assunto(s):Química de alimentos   Espectrometria de massa por plasma acoplado indutivamente   Arsênio

Resumo

O chá é uma das bebidas mais antigas do mundo, tradicionalmente consumido em função de suas propriedades biológicas, como a atividade antioxidante, conferida pelos polifenóis. Contudo estudos têm relatado a presença de substâncias potencialmente tóxicas em chás, como os contaminantes inorgânicos e os hidrocarbonetos policíclicos aromáticos (HPAs). Uma vez que o consumo de chás vem crescendo no Brasil e dados quanto a qualidade do produto comercializado internamente ainda são escassos, este projeto tem como objetivo desenvolver e validar metodologias analíticas para determinação de contaminantes inorgânicos e HPAs em chás e avaliar a presença desses compostos em produtos comercializados no Brasil. Sendo que no caso do arsênio também serão realizadas análises de especiação. Adicionalmente serão feitos estudos de estimativas de ingestão destes contaminantes, de forma a avaliar a segurança deste tipo de alimento. Os contaminantes serão analisados por meio de espectrometria de massas com fonte de plasma com acoplamento indutivo (ICP-MS) e cromatografia líquida de alta eficiência com detecção por fluorescência. O projeto prevê, também, o desenvolvimento de uma nova linha de pesquisa relacionada à especiação de arsênio usando a técnica de LC-ICP-MS. Este estudo é de grande importância visto que alguns metais pesados podem ser, ao longo do tempo, acumulados no organismo, sendo que tanto os contaminantes inorgânicos como alguns HPAs podem apresentar potencial carcinogênico.