Busca avançada
Ano de início
Entree

Desenvolvimento da cognição social sob a ótica da teoria das molduras relacionais: um estudo com crianças pré-escolares

Processo: 13/26953-4
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Mestrado
Vigência (Início): 01 de agosto de 2014
Vigência (Término): 29 de fevereiro de 2016
Área do conhecimento:Ciências Humanas - Psicologia - Psicologia do Desenvolvimento Humano
Convênio/Acordo: Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES)
Pesquisador responsável:Débora de Hollanda Souza
Beneficiário:Lívia Andrade Benatti
Instituição-sede: Centro de Educação e Ciências Humanas (CECH). Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR). São Carlos , SP, Brasil
Assunto(s):Cognição social   Teoria da mente   Crianças   Pré-escolar

Resumo

A teoria da mente é convencionalmente definida como a habilidade de compreender os próprios desejos, crenças e sentimentos, assim como atribuí-los a outras pessoas e, com base nisso, predizer comportamentos. Estudos realizados com o propósito de avaliar a teoria da mente em crianças de desenvolvimento típico utilizam, em sua maioria, as tarefas de crença falsa para tal objetivo. Como resultado, há evidências robustas de que as crianças começam a ter sucesso nessas tarefas entre os 4 e 6 anos de idade. Algumas pesquisas recentes, no entanto, embasadas na Relational Frames Theory - RFT (Teoria das Molduras Relacionais), que conceitua a linguagem e a cognição como derivados de comportamentos operantes, têm enfatizado o papel da tomada de perspectiva no desenvolvimento da teoria da mente. Os resultados apontam que crianças que passaram por um treinamento de tomada de perspectiva apresentaram um melhor desempenho nas tarefas de teoria da mente. O presente projeto pretende testar possíveis efeitos do ensino de tomada de perspectiva sobre o desempenho em tarefas de teoria da mente em crianças de 4 a 5 anos, com desenvolvimento típico e provenientes de famílias de baixo nível socioeconômico. Oito crianças participarão do estudo, sendo distribuídas aleatoriamente em dois grupos. O grupo experimental passará por um procedimento de ensino de tomada de perspectiva, formado por blocos de tentativas verbais simples e tentativas que incluem reversão e dupla-reversão de papéis com o experimentador. O grupo controle terá encontros com o experimentador com a mesma frequência e duração do grupo experimental, porém realizará atividades que não envolvem tomada de perspectiva ou teoria da mente. Os dois grupos serão avaliados em tarefas de teoria da mente, antes e depois do procedimento de ensino. Espera-se que o grupo experimental apresente melhora no desempenho nas tarefas de teoria da mente após o treinamento, tanto em relação a sua primeira avaliação como em relação ao grupo controle. Considerando a escassez de estudos sobre o tema e a importância da teoria da mente nas relações sociais de crianças e adultos, o presente projeto tem o potencial de trazer contribuições importantes para o campo de pesquisa sobre o tema no Brasil. (AU)