Busca avançada
Ano de início
Entree

Efeito da inibição da ativação microglial sobre os parâmetros neuroimunoendócrinos durante a sepse

Processo: 16/07803-0
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de julho de 2016
Vigência (Término): 31 de janeiro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Fisiologia - Fisiologia de Órgãos e Sistemas
Pesquisador responsável:Maria José Alves da Rocha
Beneficiário:Luís Henrique Angenendt da Costa
Instituição-sede: Faculdade de Odontologia de Ribeirão Preto (FORP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Bolsa(s) vinculada(s):17/25628-3 - Anatomia funcional e modulação da ativação do núcleo paraventricular induzida pela sepse, BE.EP.DR
Assunto(s):Hipotálamo   Hormônios   Microglia

Resumo

A sepse, inflamação sistêmica desencadeada por um agente infecioso, produz um estado inflamatório no sistema nervoso central (SNC) que leva a alterações autonômicas, cognitivas, comportamentais e endócrinas. A micróglia, tipo celular residente do SNC com importante papel na regulação imune e sináptica local, está ativada em diversas regiões cerebrais durante a sepse, sugerindo sua participação na disfunção neuroendócrina observada nessa doença. Nosso objetivo será avaliar o papel da ativação microglial sobre os parâmetros neuroimunoendócrinos em ratos sépticos. Ratos Wistar terão o ventrículo lateral canulado e após recuperação receberão injeção intracebroventricular de minociclina (100µg/kg), um inibidor da ativação microglial ou solução salina 0,9% (veículo) como controle, 15 minutos antes do estímulo séptico. A sepse será induzida por CLP (cecal ligation and puncture)- 10 furos, agulha 16G- e terá operação fictícia (OF) como controle- sem punção do ceco. Após 6 (fase aguda) e 24 horas (fase tardia) da cirurgia, os animais serão divididos em diferentes grupos para se avaliar a sobrevida, concentração de óxido nítrico (NO) plasmático e no líquido cefalorraquidiano, citocinas plasmáticas (IL-1², IL-6, TNF-±- ELISA), dosagens hormonais plasmáticas (vasopressina, ocitocina, ACTH, corticosterona, prolactina- ELISA) , expressão gênica (qPCR) e/ou proteica (western blot) hipotalâmica de fatores envolvido na neuroinflamação (NFš-B, IL-1², MPO, iNOS), neurotransmissão (sinaptofisina), neurodegeneração (proteína ²-amilóide), apoptose (caspase-3 clivada, PARP) e ativação glial (IBA-1, GFAP), além de avaliação morfológicas de células gliais (IBA-1,GFAP- imunohistoquímica).