Busca avançada
Ano de início
Entree

Ações e estratégias para o acompanhamento de pacientes com transtornos mentais desinstitucionalizados

Processo: 17/20668-7
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de abril de 2018
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Luciane Cruz Lopes
Beneficiário:Izabela Fulone
Instituição-sede: Pró-Reitoria Acadêmica. Universidade de Sorocaba (UNISO). Sorocaba , SP, Brasil
Assunto(s):Farmácia clínica   Antipsicóticos   Transtornos mentais   Esquizofrenia   Desinstitucionalização   Saúde mental   Sistema Único de Saúde   Sorocaba (SP)

Resumo

A desinstitucionalização, o cuidado efetivo e a reintegração das pessoas com transtornos mentais graves e persistentes na comunidade estão avançando no Brasil, mas ainda existem importantes deficiências em seu processo de implementação e consolidação. O uso sistemático da melhor evidência científica disponível na implementação e formulação de políticas públicas é um dos maiores desafios atuais em sistemas públicos de saúde. Em um cenário de recursos escassos e fortes interferências socioculturais, a tradução e a disseminação do conhecimento, considerando o contexto local e suas limitações assumem papel principal. Além disso, levantar aspectos sobre o uso de medicamentos, particularmente antipsicóticos, poderia contribuir com a melhor gestão deste usuário no contexto do Sistema Único de Saúde brasileiro. Objetivo: elaborar uma síntese de evidência voltada para os cuidados prestados aos pacientes com transtornos mentais desinstitucionalizados e subsidiar ações e estratégias para implementação de política de monitoramento e avaliação desta população na região de abrangência do Departamento Regional de Saúde - 16 (DRS-16), São Paulo. Paralelamente, avaliar a forma de utilização de antipsicóticos disponíveis para o tratamento da esquizofrenia no âmbito do Sistema Único de Saúde no Brasil. Método: no desenvolvimento da síntese será realizado intercâmbio com os tomadores de decisão (coordenação da DRS-16, coordenação da saúde mental do município de Sorocaba, gestores da Rede de Atenção Psicossocial, profissionais atuantes e organizações sociais na área de saúde mental), oficinas de sensibilização e diálogo deliberativo. A síntese e o diálogo deliberativo serão elaborados de acordo com as ferramentas SUPPORT para políticas informadas por evidências. O uso de antipsicóticos será avaliado por meio de um estudo de coorte de pacientes com esquizofrenia atendidos pelo Componente Especializado da Assistência Farmacêutica no Sistema Único de Saúde entre 2008 a 2016. Os dados serão provenientes do Datasus: Autorizações de Procedimentos de Alta Complexidade/Alto Custo (Apac/SIA). A regressão de Cox será usada para identificar os fatores associados às substituições de antipsicóticos e sua adesão. Resultados esperados: espera-se reduzir as lacunas entre conhecimento e práticas na política e assistência de pacientes com transtornos mentais desinstitucionalizados, colaborando na implementação de políticas orientadas pela síntese de evidência. Espera-se também, conhecer o perfil dos usuários, perfil de utilização, de troca, de exposição, adesão e abandono de antipsicóticos. Pretende-se ainda identificar os principais fatores associados à troca de antipsicóticos durante o tratamento, contribuindo para orientação de melhorias no programa e no uso apropriado de antipsicóticos no tratamento para esquizofrenia. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
FULONE, IZABELA; BARRETO, JORGE OTAVIO MAIA; BARBERATO-FILHO, SILVIO; DE CARVALHO, MARCEL HENRIQUE; LOPES, LUCIANE CRUZ. Knowledge Translation for Improving the Care of Deinstitutionalized People With Severe Mental Illness in Health Policy. FRONTIERS IN PHARMACOLOGY, v. 10, JAN 21 2020. Citações Web of Science: 0.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.