Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise do efeito protetor de acetoexamida frente a irradiação UV em células Xeroderma pigmentosum

Processo: 19/13919-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Iniciação Científica
Vigência (Início): 01 de janeiro de 2020
Vigência (Término): 31 de dezembro de 2020
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Danilo Batista Vieira de Melo
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Assunto(s):Reparo do DNA   Sobrevivência celular   Irradiação   Nucleotídeos   Xeroderma pigmentoso

Resumo

O DNA é uma molécula que sofre constantes ataques de agentes genotóxicos, sejam de origem exógena ou endógena. Essas interações podem gerar lesões no DNA e posteriormente mutações. Para evitar esses danos nosso organismo possui uma série de mecanismos de reparo, que preservam o genoma. Pessoas que possuem deficiências nesses mecanismos apresentam quadros clínicos relacionados com alta frequência de tumores, envelhecimento precoce e neurodegeneração. Dada à importância desses mecanismos, o projeto foca em estudos utilizando células humanas derivadas de pacientes com deficiência em (reparo) excisão de nucleotídeos (NER) e portadores da síndrome xeroderma pigmentosum (XP). A proposta é utilizar técnicas de cultura celular para analisar respostas na viabilidade celular frente à irradiação com ultravioleta (UVC e UVB), após pré-tratamento com acetoexamida. Essa droga foi recentemente reportada na literatura com um efeito protetor à irradiação UVC em linhagens deficientes em XPA. Neste trabalho pretendemos confirmar esse efeito protetor em células XP-A e ampliar para células deficientes em XPC irradiadas com luz UV. Se conseguirmos confirmar o efeito protetor dessa substância na viabilidade celular, empreenderemos esforços no sentido de compreender os mecanismos envolvidos no processo avaliando diferentes respostas das células ao dano no DNA. Nossa expectativa é que as evidências possam indicar essa substância como um potencial agente terapêutico para pacientes com essa síndrome.