Busca avançada
Ano de início
Entree

Análise da mutagênese basal e dos danos induzidos por luz UVA em células de pacientes com Xeroderma Pigmentosum Variante

Processo: 17/24418-5
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de março de 2018
Vigência (Término): 30 de junho de 2022
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Genética - Mutagênese
Pesquisador responsável:Carlos Frederico Martins Menck
Beneficiário:Camila Corradi
Instituição-sede: Instituto de Ciências Biomédicas (ICB). Universidade de São Paulo (USP). São Paulo , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:14/15982-6 - Consequências de deficiências de reparo de lesões no genoma, AP.TEM
Assunto(s):Biologia celular   Biologia computacional   Xeroderma pigmentoso   Reparo do DNA   DNA polimerase dirigida por DNA   Raios ultravioleta

Resumo

O DNA está constantemente sujeito a ação de agentes endógenos e exógenos que podem provocar inúmeros tipos de lesões na sua molécula, interferindo na transcrição e replicação. A luz ultravioleta A (UVA), responsável por mais de 90% da radiação ultravioleta (UV) solar que atinge a superfície terrestre, pode causar danos diretos e indiretos no DNA, como dímeros de pirimidina ciclobutano (CPDs) e bases oxidadas, respectivamente. As células possuem diversos mecanismos capazes de corrigir tais danos, como o Reparo por Excisão de Nucleotídeos (NER), além da via de Síntese Translesão (TLS) que durante a replicação realiza o bypass das lesões supracitadas. Deficiências no gene POLH/XPV, que codifica para uma importante proteína que atua em TLS, a DNA polímerase (pol eta), culmina em uma rara síndrome, autossômica recessiva, denominada Xeroderma Pigmentosum Variante (XP-V). Dessa forma, com o intuito de entendermos melhor o papel do estresse oxidativo endógeno na mutagênese de pacientes XP-V, pretendemos analisar as mutações basais em fibroblastos com este fenótipo e compará-las com a linhagem complementada com pol eta. O projeto também propõe analisar o comportamento mutagênico das mesmas linhagens irradiadas com UVA e tratadas com agente antioxidante (NAC) e induzindo o fator de transcrição Nrf2 (principal responsável pelo controle do estresse oxidativo na célula), assim como pela transdução de fotoliase que corrigem especificamente os danos CPD. Através de uma estratégia desenvolvida pelo nosso grupo, clones celulares serão obtidos, e cada um terá seu exoma sequenciado, a fim de explorar de forma objetiva os efeitos mutagênicos e identificar eventuais assinaturas mutagênicas, decorrentes da ausência da pol eta, bem como o efeito potencialmente protetor de NAC, Nrf2 e fotoliase. (AU)