Busca avançada
Ano de início
Entree

Vesículas extracelulares liberadas por Leishmania (Leishmania) amazonensis com distintos perfis de virulência: caracterização, papel na resposta imunológica e na progressão da doença

Processo: 21/01556-9
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Programa Capacitação - Treinamento Técnico
Vigência (Início): 01 de março de 2021
Vigência (Término): 31 de julho de 2022
Área do conhecimento:Ciências da Saúde - Farmácia
Pesquisador responsável:Patricia Xander Batista
Beneficiário:Aline Correia Costa de Morais
Instituição-sede: Instituto de Ciências Ambientais, Químicas e Farmacêuticas (ICAQF). Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP). Campus Diadema. Diadema , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:19/21614-3 - Vesículas extracelulares liberadas por Leishmania (Leishmania) amazonensis com distintos perfis de virulência: caracterização, papel na resposta imunológica e na progressão da doença, AP.R
Assunto(s):Leishmania mexicana   Vesículas extracelulares   Virulência

Resumo

Leishmania amazonensis libera vesículas extracelulares (EVs) as quais modulam a ativação de macrófagos e células B-1, além promover aumento da carga parasitária em animais experimentalmente infectados com o parasita. Sabe-se que EVs de patógenos contém antígenos, fatores de virulência, RNA, DNA e lipídeos, contribuindo assim para a relação parasita-hospedeiro. Contudo, alterações no conteúdo das EVs liberadas por agentes patogênicos podem impactar na resposta imunológica e na progressão da doença, por isso EVs derivadas de parasitas virulentos e atenuados podem apresentar diferenças relevantes na resposta imune. Assim, esforços vem sendo realizados para melhorcaracterizar e avaliar o potencial uso de EVs em tratamentos e no desenvolvimento de vacinas. Esteprojeto tem por objetivo caracterizar e avaliar o papel das EVs liberadas por promastigotas de L.amazonensis virulenta (recém recuperada de lesões nos animais) e atenuada (obtida por cultivo emlongo período em cultura in vitro) nas respostas de macrófagos e células B-1, na resposta imunológica e desenvolvimento da doença experimental em camundongos BALB/c previamente imunizados. Portanto, este projeto poderá contribuir para o melhor entendimento da relação parasita-hospedeiro e futuramente fornecer subsídios para o desenvolvimento de novas abordagens terapêuticas e vacinais na leishmaniose.