Busca avançada
Ano de início
Entree

Silvigênese como ferramenta para a caracterização sucessional de trechos florestais e a relação do mosaico silvigênico com fatores abióticos em floresta ombrófila densa baixa montana (Parque Estadual Carlos Botelho) e floresta de restinga (Parque Estadual Ilha do Cardoso)

Processo: 03/00233-3
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado
Vigência (Início): 01 de junho de 2003
Vigência (Término): 31 de maio de 2006
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Ecologia - Ecologia de Ecossistemas
Pesquisador responsável:Ricardo Ribeiro Rodrigues
Beneficiário:Andrea Vanini
Instituição-sede: Instituto de Biologia (IB). Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Campinas , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:99/09635-0 - Diversidade, dinâmica e conservação de árvores em florestas do estado de São Paulo: estudos em parcelas permanentes, AP.BTA.TEM
Assunto(s):Florestas tropicais

Resumo

A floresta tropical é interpretada como um mosaico de trechos em diferentes condições sucessionais, sendo sua maior riqueza encontrada nos estágios intermediários até avançados da regeneração após o distúrbio. A dinâmica dos ecossistemas tropicais, no que diz respeito à frequência e intensidade do regime de distúrbios, tem sido tratada como uma das principais causas da manutenção da elevada riqueza de espécies, principalmente em ambientes altamente diversificados como as floretas tropicais. O objetivo deste trabalho é detalhar o mosaico florestal, suas alterações temporais e os possíveis fatores abióticos, e a influência destes nas alterações temporais do mosaico vegetacional. O estudo será realizado em duas unidades de Conservação (P. E. da Ilha do cardoso e E. E. de Carlos Botelho) cujas formações florestais são: Floresta de Restinga e Floresta Ombrófila Densa respectivamente. Em cada unidade será alocada uma parcela de 320x320m (10,24) onde serão realizadas caracterizações de mosaico silvático, utilizando o método de interceptação de linhas de inventário, com identificação das eco-unidades do mosaico. Estes indivíduos serão classificados no campo, quanto à sua arquitetura em: árvores do futuro, presente e passado. O mapa de eco-unidades do mosaico silvigênico será relacionado às fatores físicos do ambiente com o intuito de reconhecer possíveis padrões de distribuição de eco-unidades. (AU)

Publicações acadêmicas
(Referências obtidas automaticamente das Instituições de Ensino e Pesquisa do Estado de São Paulo)
VANINI, Andrea. Análise silvigênica para caracterização de trecho de floresta alta de restinga e sua relação com o solo. 2009. Tese de Doutorado - Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Instituto de Biologia.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.