Busca avançada
Ano de início
Entree


Fatores locais e de paisagem sobre a regeneração natural em paisagens agrícolas da Mata Atlântica brasileira

Texto completo
Autor(es):
Ricardo Gomes Cesar
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Tese de Doutorado
Imprenta: Piracicaba.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz
Data de defesa:
Membros da banca:
Pedro Henrique Santin Brancalion; Giselda Durigan; Sílvio Frosini de Barros Ferraz; Sergius Gandolfi; Jean Paul Walter Metzger
Orientador: Pedro Henrique Santin Brancalion
Resumo

Florestas estabelecidas pelo plantio de mudas de espécies nativas (PL) e por meio do estabelecimento de florestas secundárias pela regeneração natural (FS) são as principais comunidades geradas durante a restauração florestal em larga escala. A escolha dessas estratégias está condicionada potencial de regeneração natural do local, mas tão importante quanto a decisão sobre métodos de restauração, são as diferenças das comunidades que essas escolhas podem gerar. As FS são heterogêneas e, enquanto existe uma literatura crescente dos fatores que afetam a chance do estabelecimento das FS, poucos trabalhos abordam os fatores que influenciam os atributos dessas florestas. Nesse contexto, nosso trabalho busca identificar as diferenças entre PL e FS e as variáveis locais e de paisagem que afetam os atributos das FS. Para tal, amostramos a comunidade arbórea de florestas estacionais semideciduais de Mata Atlântica estabelecidas naturalmente (FS) e por PL em paisagens agrícolas na bacia do Rio Corumbataí, no estado de São Paulo. Observamos que os PL apresentam biomassa semelhante às SF e maior riqueza de espécies. No entanto, as PL também apresentam menor abundância de indivíduos jovens, indivíduos zoocóricos e lianas. A composição de espécies entre essas florestas também difere. As FS estabelecidas em plantios abandonados de eucalipto apresentaram riqueza de espécies e biomassa de espécies nativas semelhantes a outras florestas secundárias. No entanto, os atributos das SF variam consideravelmente. Nesse contexto, as FS apresentam elevado potencial de provimento de alimento para a fauna e estocagem de carbono de maneira custo-eficiente, enquanto que as PL podem ter sua permanência em longo prazo comprometida pela falta de indivíduos jovens. Em seguida, investigamos as variáveis que direcionam a heterogeneidade observada nas FS utilizando modelos mistos lineares generalizados para estimar a influência de variáveis locais e de paisagem na biomassa, densidade de espécies, área basal de árvores zoocóricas e estrutura filogenética das FS amostradas. Plantios de cana-de-açúcar próximos as FS reduzem a biomassa e área basal de indivíduos zoocóricos, enquanto que a cobertura florestal da paisagem aumentou a densidade de espécies e a diversidade filogenética. A idade da floresta apresentou importância secundária ou nula para os atributos estudados. Nossos resultados ressaltam a importância de práticas agrícolas que minimizem os danos em florestas próximas e de mecanismos que favoreçam a cobertura florestal nativa em paisagens agrícolas, a fim de fomentar o potencial dessas florestas em prover serviços ecossistêmicos e conservar a biodiversidade. A escolha entre facilitação do estabelecimento de FS ou PL visando a restauração florestal está condicionada ao contexto local e de paisagem onde serão realizadas as ações de restauração. Apesar de ambas as abordagens apresentarem potencial para cumprir os objetivos dos projetos de restauração, atenção especial deve ser dada ao recrutamento de novos indivíduos para manter a sustentabilidade de PL, enquanto que práticas agrícolas menos impactantes e paisagens agrícolas com maior cobertura florestal nativa podem aumentar o potencial de SF em prover serviços e conservar a biodiversidade. (AU)

Processo FAPESP: 14/14503-7 - Cronossequência e efeito da paisagem na sucessão secundária de florestas tropicais
Beneficiário:Ricardo Gomes César
Linha de fomento: Bolsas no Brasil - Doutorado