Busca avançada
Ano de início
Entree


Efeito da infecção pelo vírus Zika na localização e processamento da proteína precursora do β-amiloide

Texto completo
Autor(es):
Milena Barrocali de Araújo Melo
Número total de Autores: 1
Tipo de documento: Dissertação de Mestrado
Imprenta: Ribeirão Preto.
Instituição: Universidade de São Paulo (USP). Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (PCARP/BC)
Data de defesa:
Membros da banca:
Luis Lamberti Pinto da Silva; José Luiz Proença Modena; Adriano Silva Sebollela
Orientador: Luis Lamberti Pinto da Silva
Resumo

Pertencente à família Flaviviridae, o vírus da Zika (ZIKV) é um flavivírus de importância médica, cujo principal agente transmissor são mosquitos da família Aedes. Outros arbovírus importantes estão incluídos no gênero Flavivirus, sendo os mais conhecidos o vírus da Dengue (DENV) e o vírus da Febre Amarela (YFV). Considerando os diversos relatos na literatura correlacionando este arbovírus ao comprometimento do sistema nervoso central (SNC), estudos que exploram a dinâmica intracelular do ZIKV, particularmente no que concerne à participação de fatores da célula hospedeira na propagação viral, são escassos. Deste modo, a primeira parte desta dissertação objetivou investigar a participação da maquinaria ESCRT (Endosomal Sorting Complex Required for Transport) na montagem e externalização de ZIKV. Esta maquinaria é responsável por mediar eventos intracelulares requerem deformação e fissão da membrana e já foi envolvida em processos que culminam na montagem e brotamento de diversos vírus envelopados, como alguns flavivírus. Por meio de ensaio de duplo híbrido mostramos que a proteína nãoestrutural 3 (NS3) de ZIKV interage com a proteína TSG101 (ESCRT-I), via domínio helicase de NS3. Para compreender a importância de TSG101 durante a infecção viral foi empregada técnica de small interfering RNA (siRNA) e a observação dos dados mostrou que a depleção de TSG101 não comprometeu a eficiência de replicação viral e externalização de partículas virais infecciosas de ZIKV. A maquinaria ESCRT também já foi reportada na literatura como sendo capaz de regular o tráfego da Proteína Precursora do β-amiloide (APP). A depleção de componentes ESCRT resultou na inibição da degradação de APP e promoveu o acúmulo de β-amiloide (Aβ), peptídeo neurotóxico resultante da clivagem proteolítica de APP. A maquinaria ESCRT também exerce no processo de autofagia, envolvida na depuração do fragmento C99, precursor do Aβ. Deste modo a segunda parte desta dissertação objetivou investigar o efeito da infeção pelo ZIKV no tráfego e processamento de APP. Nossos resultados indicaram que a infecção por ZIKV induz alterações nos níveis totais da proteína APP, além de acarretar na sua redistribuição intracelular. Como tentativa de elucidar a nossa hipótese de que a autofagia induzida pelo ZIKV seria responsável por desempenhar alterações na expressão, redistribuição subcelular e processamento de APP, foi testado o efeito as proteínas NS4A e NS4B de ZIKV, sabidamente indutoras de autofagia. Os dados obtidos demonstraram que a proteína NS4A de ZIKV colocaliza-se fortemente com APP e que ambas as proteínas virais são capazes de modificar a localização e processamento de APP, favorecendo a detecção de C99. (AU)

Processo FAPESP: 19/20193-4 - Estudo do envolvimento da maquinaria ESCRT na montagem e brotamento de vírus zika em células de glioblastoma humano
Beneficiário:Milena Barrocali de Araújo Melo
Modalidade de apoio: Bolsas no Brasil - Mestrado