Busca avançada
Ano de início
Entree

Caracterização funcional e estrutural de uma metaloprotease não-hemorrágica com atividades antitumoral e microbicida isolada do veneno de Bothrops pirajai

Processo: 07/08361-1
Linha de fomento:Bolsas no Brasil - Doutorado Direto
Vigência (Início): 01 de julho de 2008
Vigência (Término): 30 de junho de 2012
Área do conhecimento:Ciências Biológicas - Bioquímica - Química de Macromoléculas
Pesquisador responsável:Suely Vilela
Beneficiário:Carolina Petri Bernardes
Instituição-sede: Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP). Universidade de São Paulo (USP). Ribeirão Preto , SP, Brasil
Vinculado ao auxílio:05/54855-0 - Toxinas animais: estrutura, função e aplicações biotecnológicas, AP.TEM
Assunto(s):Proteínas   Metaloproteases   Venenos de serpentes   Bothrops   Imunoquímica

Resumo

As metaloproteases de venenos de serpentes compreendem um grupo de enzimas dependentes de zinco de massa molecular variável (classificadas de PI a PIV), que são responsáveis pelo efeito hemorrágico induzido pelas serpentes Viperinae e Crotalinae. Este projeto propõe a caracterização bioquímica, molecular e estrutural de uma metaloprotease de baixo peso molecular (classe PI) do veneno de Bothrops pirajai, assim como a sua caracterização funcional (atividades enzimáticas, tóxicas e farmacológicas). Esta protease será isolada por cromatografia de troca iônica seguida por interação hidrofóbica, e após a verificação de seu grau de pureza por SDS-PAGE e HPLC, será utilizada para caracterização bioquímica (pI, peso molecular, conteúdo de íons divalentes, e composição em aminoácidos) e funcional. A sequência completa da metaloprotease será determinada pelo sequenciamento direto da proteína, permitindo uma abordagem estrutural mais elaborada através de estudos de modelagem molecular e cristalografia de raio x. As atividades enzimáticas serão avaliadas sobre diferentes substratos (caseína, fibrina, fibrinogênio e colágeno), com variações de concentrações de enzima, pH, temperatura, íons divalentes, agentes quelantes e tempo de incubação. Esta protease também será testada quanto aos efeitos tóxicos (miotoxicidade sobre os músculos gastrocnemius direito, citotoxicidade sobre células endoteliais e tumorais, hemorragia, e letalidade) e farmacológicos (coagulante, anticoagulante, efeito sobre plaquetas, atividades microbicida, antitumoral e indução de edema). Os estudos serão complementados com ensaios imunoquímicos, abrangendo produção e purificação de anticorpos policlonais, testes de imunorreatividade cruzada e neutralização de atividades tóxicas e farmacológicas. Os aspectos abordados neste trabalho poderão trazer informações complementares sobre os mecanismos de ação, relacionando estrutura e função, podendo resultar no melhor entendimento dos efeitos induzidos pelas metaloproteases de venenos de serpentes e da participação, direta ou sinérgica, desta proteína no envenenamento causado pela serpente Bothrops pirajai. (AU)

Publicações científicas
(Referências obtidas automaticamente do Web of Science e do SciELO, por meio da informação sobre o financiamento pela FAPESP e o número do processo correspondente, incluída na publicação pelos autores)
BERNARDES, CAROLINA P.; MENALDO, DANILO L.; MAMEDE, CARLA C. N.; ZOCCAL, KARINA F.; CINTRA, ADELIA C. O.; FACCIOLI, LUCIA H.; STANZIOLA, LEONILDA; DE OLIVEIRA, FABIO; SAMPAIO, SUELY V. Evaluation of the local inflammatory events induced by BpirMP, a metalloproteinase from Bothrops pirajai venom. Molecular Immunology, v. 68, n. 2, B, p. 456-464, 2015. Citações Web of Science: 9.

Por favor, reporte erros na lista de publicações científicas escrevendo para: cdi@fapesp.br.